<
>

UFC: Mayra Sheetara revela inspiração em Ronda Rousey para finalizações

play
No UFC, Sarah Alpar apanha de todos os jeitos, toma 'banho de sangue' e sai com o rosto desfigurado (0:43)

Jessica Rose-Clark puniu a rival e conseguiu o nocaute no fim do 3º round (0:43)

Aos 29 anos e dona de um ainda pequeno cartel no MMA, Mayra Sheetara acaba de conquistar sua segunda vitória no octógono do UFC. No último sábado (19), diante de Mara Romero Borella, a representante de academia ‘Chute Boxe Diego Lima’ finalizou a disputa logo no primeiro round e voltou para casa sem nenhum arranhão.

O que poucos sabem, porém, é que o golpe que a levou ao triunfo, e que foi utilizado por ela em quatro de suas sete vitórias como profissional de MMA, é fruto de, além de muito treino, inspiração direta em Ronda Rousey. Ex-judoca olímpica e primeira campeã peso galo (61 kg) da história do UFC, a americana utilizou o armlock para vencer nove de seus 12 triunfos no esporte.

“Vou dizer algo que aconteceu quando eu comecei a treinar. Eu olhava a Ronda Rousey e achava incrível que ela finalizava todo mundo com uma chave-de-braço. Eu falava para os meus amigos que eu bateria o recorde de finalizações no UFC por armlock – que é a minha finalização favorita”, revelou em conversa com a reportagem da Ag. Fight nas dependências do UFC Apex, em Las Vegas (EUA).

Além da conquista, a atleta não escondia a emoção por conseguir superar um curioso e nada agradável histórico. Apesar do pouco tempo de carreira como profissional no esporte, Sheetara acumula lesões e cirurgias em volume comparável a quem compete em alto nível por muito mais tempo.

“Me emocionei ali porque quem me acompanha sabe. Eu sofri com muitas lesões. Tenho cinco anos de carreira e quatro cirurgias. Essa é a primeira vez que venço uma luta e não preciso de cirurgia (risos). Foi difícil, mas estou muito feliz”, declarou a promissora atleta.

Com dois triunfos e uma derrota no evento, a atleta preferiu ser pé no chão e não desafiar ninguém especificamente. Recém-promovida para a faixa roxa de jiu-jitsu, Sheetara pediu para lutar ainda na temporada 2020 e, se possível, com a certeza de um contrato mais longo com a organização.

“Tenho mais uma luta no evento, e quero lutar até dezembro, se possível, com o contrato renovado. Mas quero enfrentar uma top 10. Se eu renovar, eu darei o nome de quem eu quero enfrentar (risos)”, finalizou a sorridente atleta.