<
>

UFC: McGregor diz que quer voltar para se redimir, se vê lutando ainda em 2019 e cita até Aldo como possível rival

O lutador Conor McGregor é conhecido por ser um dos melhores da história do MMA e do UFC, mas também por suas polêmicas. A mais recente delas envolve uma agressão a um idoso em um bar em Dublin, na Irlanda.

Em entrevista exclusiva para a ESPN, o irlandês falou sobre o incidente, admitiu a sua culpa e comentou que precisa "parar de morder as iscas" que colocam em sua vida e, acima de tudo, proteger seu legado. Agora, McGregor quer voltar aos octógonos para se redimir e recuperar o prestígio de sua carreira.

O lutador não sobe ao octógono desde 6 de outubro de 2018, quando foi derrotado pelo russo Khabib Nurmagomedov e perdeu o cinturão. Em maio deste ano, McGregor se preparava para voltar a lutar, mas uma lesão na mão atrapalhou seus planos. Agora, o irlandês visa um retorno triunfal e fala em uma possível revanche com Nurmagomedov, mas não descarta outras possibilidades de adversário, como o brasileiro José Aldo.

Nota do Editor: A entrevista completa de Ariel Helwani com Conor McGregor foi editada para um melhor entendimento. A versão completa estará no WatchESPN na próxima semana.

ESPN: Na semana passada, o TMZ postou um vídeo em que você parecia entrar em uma briga com outro homem na Irlanda. Você pode nos contar o seu lado dessa história?

Conor McGregor: A verdade é que não interessa o que aconteceu lá. Eu estava errado. Aquele homem merecia curtir o seu tempo no bar sem tudo terminar como terminou. Apesar de eu ter tentado me retratar há alguns meses - e ter me retratado com ele na época -, isso não importa. Eu estava errado. Estou aqui apenas para admitir isso, seguir em frente, continuar e enfrentar o que está por vir.

Você realmente deu um soco naquele homem?

O que aconteceu foi um pouco nebuloso para mim também. Foi há muitos meses, como eu disse. E eu tenho feito o necessário para me certificar de que isso não aconteça novamente. Para ser um pai melhor, para ser um ser humano melhor, para ser um melhor modelo para essas crianças. Eu sei que muitas crianças estão me admirando, e às vezes isso me deixa surpreso.

Eu tenho que reconhecer que aquele não é o comportamento de um líder, de um lutador de artes marciais mistas, de um campeão. Eu tenho que esfriar a cabeça e voltar para o jogo. Lutar por redenção, retribuição, respeito, as coisas que me fizeram ser o homem que sou. E é isso que eu vou fazer.

O que deve acontecer agora?

O que posso dizer? Isso não importa. Não há resposta para o que foi feito. Eu estava completamente errado. Não há necessidade de discutir quem começou, o que estava acontecendo lá fora, nada disso. Eu estava completamente errado; foi um comportamento inaceitável, e eu tenho consciência disso.

O vídeo foi lançado no dia seguinte ao batizado da minha filha, então nos divertimos muito com a minha família e então ... Eu só tenho que esperar e ver o que acontece e o que quer que apareça no meu caminho, eu vou encarar. O que quer que aconteça comigo, eu vou encarar. Não vou me esconder disso. Eu estava errado. Foi um comportamento completamente inaceitável para um homem na minha posição. O que acontecer, eu vou enfrentar.

Desde que este vídeo foi lançado, você foi fortemente criticado. Como você se sente ao ver e ler isto?

Quanto aos meus colegas de profissão, eu mereço ser criticado. Eu mereço ser criticado por esse comportamento. É simplesmente inaceitável. Não há desculpa para isso. Ver os fãs decepcionados comigo me machuca muito, porque tudo o que eu fiz foi pelos fãs. Eu sou muito querido pelos fãs. Toda a minha carreira foi pensando neles.

Isso me dói mais na alma do que você jamais saberá. Então, como eu disse, retribuição, redenção, respeito. Eu recuperarei tudo isso.

Este incidente aconteceu algumas semanas após o seu incidente em Miami ... Você acredita que tem um problema de raiva? É algo que você precisa corrigir?

Naquela viagem a Miami, eu estava me preparando para uma batalha. Eu trouxe minha mãe. Era o aniversário de 60 anos dela. Eu trouxe toda a família. Saímos e então a situação surgiu. Eu só preciso parar de morder as iscas. As pessoas estão tentando me pegar com a guarda baixa. Eu sou o peixe ou eu sou a baleia? Eu devo estar calmo. Eu devo ser zen. Eu deveria liderar pelo exemplo. Não posso reagir daquela maneira.

Eu sei que você é um historiador, um aficionado por jogos de luta ... Você já viu essa história antes. Você já viu o cara que fica famoso e se mete em problemas repetidamente. Você está preocupado que a mesma coisa esteja acontecendo com você?

Às vezes, sinto que estou alimentando isso. Estou em uma posição em que poucos lutadores estão ... Posso ser rico, mimado e estragar tudo, ou posso esfriar a minha cabeça e conseguir deixar gerações da minha família tranquilas - os filhos dos filhos dos meus filhos. Portanto, se eu tiver essa oportunidade diante de mim e falhar, tudo que eu consegui na minha carreira vai parar de importar. Tudo será insignificante para mim.

Você está preocupado que seja tarde demais?

Olhe para Nate Diaz. Última luta há três anos, derrotado por mim. Voltou e venceu. E foi uma experiência motivadora para mim. Olhe para Stipe Miocic, voltou depois de uma derrota por nocaute. Ganhou o título de volta contra o homem que o nocauteou. Há tantas histórias assim. E a minha será a maior de todas...

O jogo está longe de terminar para mim. E eu estou muito animado. Eu tive um pequeno deslize. Eu estava me preparando para lutar em julho no Madison Square Garden. Eu estava em uma condição fenomenal. Mental e fisicamente, a melhor que já estive. ... Então, um pequeno erro, e estou apenas tentando encontrar esse equilíbrio e me motivando novamente, e estou procurando inspiração em todos os lugares.

Por que você tuitou que iria se aposentar?

Você não entende a quantidade de coisas que acontecem nos bastidores. Às vezes eu só preciso de distância. ... Eu fiz tanto pelo UFC. Eu construí esta casa. Royce [Gracie] pode dizer que ele construiu esta casa, mas eu certamente tive a minha importância. E então, quando tantas coisas acontecem nos bastidores e entre a minha equipe interna, a equipe externa e os negócios, às vezes você só precisa dar um passo para trás.

Mas eu acho que nunca vou me aposentar desse jogo. Nunca na minha vida. Eu vou lutar até o dia em que eu morrer.

Como você quebrou sua mão?

Sparring. ... Eu tinha marcado uma luta de caridade no meu antigo clube, o Crumlin Boxing Club. Muitas pessoas não podem pegar um avião e me ver lutar em Vegas. Então, eu queria aparecer no meu antigo clube. Quando voltei para lá, eu percebi como eu errei na preparação para a luta contra Floyd Mayweather.

Nós fizemos um ótimo show para os fãs. Mas também era para começar a preparação. Fizemos quatro rounds na luta. Foi como um treinamento para a próxima luta. E então, obviamente, tínhamos um contrato programado na semana seguinte entre meu treinador [John Kavanagh] e eu. ... Preciso recuperar esse relacionamento com ele. Então, agendamos uma luta contra um jovem promissor. Mas as lutas de MMA são pequenas. A chance de alguém se machucar é imensa.

Muita gente foi assistir. E eu acertei o cara com a mão direita. Quando ele caiu, eu fui para cima e dei um soco de esquerda que pegou na lateral da cabeça dele. E foi isso. Tive que fazer uma cirurgia.

Mas estou de volta agora. Estou de volta. Ontem, eu me encontrei com o cirurgião. Ele me disse que, em setembro, eu já vou poder fazer luta agarrada. Mas eu estava com ele ontem. Ele disse que já estou liberado, então está tudo certo. Mas é claro que eu não deixei de treinar chutes e condicionamento.

Qual é o estado do seu relacionamento com o UFC no atual momento?

Eu sempre tive um ótimo relacionamento com o UFC. É a marca acima do lutador. Uma das coisas que mais diminuiu a velocidade nos bastidores foi quando eles tentaram me tornar o co-evento principal. Mas são apenas negócios. Temos um ótimo relacionamento comercial com o UFC. Eu respeito muito o UFC. É uma parte de mim.

Eu tenho um grande respeito pelas pessoas no UFC, por Lorenzo [Fertitta] que construiu, por Dana [White], é claro, e pelas pessoas que estão envolvidas agora, então não há nenhuma briga. Estamos todos ansiosos para colocar isso de volta nos trilhos.

Você se surpreendeu por não ter sido chamado para uma trilogia contra Nate Díaz [após a vitória dele no UFC 241]?

Passamos quase 50 minutos juntos em um octógono. Foram lutas intensas, lutas muito, muito intensas. Mas Nate é um cara esperto. Ele foi bem demais contra Anthony Pettis... Jorge Masvidal está em uma sequência de vitórias, mas ele não foi bem na categoria dos leves. Ele estava lá para assistir Nate x Pettis. Eu não senti que estava sendo deixado de lado. Eu que coloquei Nate nessa situação, na verdade.

Então, vamos ver o que acontece. Se ele não quiser a trilogia, não há problema. Eu não o culpo. Eu estava pronto para lutar contra qualquer um, e isso aconteceu. Devo aceitar e aprender com isso. E é isso que eu vou fazer.

Sobre a luta em julho... Você tinha algum oponente esperando por você?

Acredito que seria Justin Gaethje, mas o jogo muda tão rápido. Todo mundo vem e vai. É um negócio cruel, cruel. Apenas pela quantidade de história que fiz, a quantidade de momentos icônicos que aconteceram na minha carreira - eles adorariam ter me colocado lá.

Eu sempre estarei por perto, você sabe disso. Sempre haverá algo, e eu sempre procurarei algo que tenha a ver com esse jogo, porque eu o amo muito. Eu estou treinando meu filho com tudo que eu aprendi nos últimos anos. Se ele quiser continuar com isso, eu o guiarei por todo o caminho; se ele não quiser, eu não vou. Você me entende? Eu sou assim, esse esporte é a minha vida. Foi isso que me deu essa vida e Deus abençoou essa vida. Então, eu só estou ansioso para voltar.

Se o UFC viesse até você hoje e dissesse 'Conor, quem você quer? É o vencedor de Khabib-Poirier?'

Eu quero meu título mundial de volta. E eu quero essa redenção. O treino foi feito de maneira incorreta. Eu aprendi muito sobre isso. O Khabib [Nurmagomedov] fugiu durante o primeiro round inteiro. Ele não deu um soco. Ele tentou me derrubar antes de dar um soco ... Não houve um sussurro dele até que ele terminou em uma posição dominante. A única razão pela qual ele terminou nessa posição dominante foi porque eu não o respeitei. Eu vacilei nesse milésimo e ele conseguiu aquela queda. Há muitas coisas boas que posso tirar disso. Eu vou voltar e me vingar, mas não vou esperar.

Quem? Se for Dustin, que seja Dustin. Se for Nate, Nate. Se for Jorge, Jorge. Eu não sei. ... nem conheço o Jorge tão bem. Mas tanto faz: Tony Ferguson, Justin Gaethje, revanche contra Max Holloway, revanche contra Jose Aldo. Há tantas coisas para mim, tantas oportunidades.

E a verdade é que eu não me importo com o adversário. Eu só quero voltar e lutar.

Verdadeiro ou falso: você ainda luta este ano.

Eu diria verdadeiro. Como eu disse, eu falei com o meu cirurgião sobre treinar grappling. Vou começar a fazer grappling agora. Eu já estou em forma. Não perdi o meu condicionamento, ainda estou em forma. Só preciso trabalhar no meu grappling e ver como fica a firmeza no meu punho e essas coisas. Mas eu consigo dar socos com potência total. Nós estamos em agosto? Sim. Eu quero lutar em 2019 ainda.

Seria justo dizer que, se Khabib vencer Poirier, sua primeira opção será a revanche logo de cara?

Eu entrei naquela luta (contra Khabib) com um pé. Meu pé parecia um balão. Meus dedos estavam estourados. O cara veio no octógono e os colocou de volta no lugar. Eu não estava nem aí. Fui para cima mesmo assim. E tudo isso com um treino ruim. Claro que se essa for a luta que estiver disponível, será a minha escolha. Se não, eu vou aceitar o que estiver aí. Tem muita opção para mim.

O que você achou das provocações de Max Holloway?

Certamente é uma luta que me interessa, jovem Holloway. Você viu que não é tão fácil quanto você pensa subir uma divisão e tentar conquistar o segundo título mundial. O jovem Max é a prova viva.

Veja eu mordendo a isca de novo. Eu preciso aceitar as coisas, mas a luta contra Max Holloway é certamente uma que me interessa, muito respeito por Max ... Max está definitivamente lá em cima, no topo da lista. E você sabe quem mais está no topo da lista? Frankie Edgar também está lá em cima, no topo da lista, porque ele tem semelhanças com Khabib. ... Eu quero esses tipos de adversários semelhantes.

Tony Ferguson é um oponente que te interessa também?

Tony é outro guerreiro. Também tenho muito respeito por Tony. ... Temos muitos bons lutadores. Tony também está nesta mistura. Veremos o que acontece. Mas você sabe, Tony venceu as últimas 12 lutas, e eles querem que ele lute pelo cinturão. Vamos ver o que acontece agora em setembro em Abu Dhabi - quando Khabib enfrentar Dustin.

O que você está fazendo ativamente para voltar aos trilhos, para tentar não se meter mais em problemas?

Estou me concentrando na minha família. Estou tendo longas discussões comigo mesmo. Discussões diárias. Porque é uma coisa diária. ... Estou tentando não sucumbir à tentação. Estou tentando não morder a isca. Estou tentando ser um homem de família e trabalhando duro todos os dias. Essas são as coisas em que estou focando.

Nós nos mudamos para uma nova casa há apenas algumas semanas e tivemos dificuldades para encontrá-la. Estou muito feliz com isso. Estou criando minha família, procurando escolas. Essas são as coisas que estou fazendo, apenas para me manter focado enquanto continuo meu treinamento e meus negócios.