<
>

Djokovic tem visto rejeitado, deve ficar de fora do Australian Open e será deportado

play
Os 10 donos de clubes mais ricos da Premier League (1:04)

Dos trilhões do Newcastle ao 'modesto' Brentford: o ranking dos donos mais ricoes de clubes da Premier League (1:04)

Melhor tenista da atualidade foi 'barrado' ao chegar à Austrália após não estar vacinado


Novak Djokovic não deve defender o tricampeonato do Australian Open. O número 1 do mundo teve seu visto rejeitado e foi ordenado a deixar o país da Oceania nesta quinta-feira. O sérvio disse no começo da semana que teria uma isenção médica para participar do primeiro Grand Slam da temporada, apesar de não revelar seu status de vacinação para a COVID-19.

No entanto, o sérvio foi barrado ao chegar no aeroporto de Melbourne, na Austrália, e após ficar detido por mais de 10 horas para explicações ao governo local, não convenceu as autoridades e não conseguirá entrar no país para disputar o torneio, que começa no próximo dia 17.

De acordo com o jornal The Times, Djokovic apelou da decisão e envolveu até o presidente da Sérvia, Aleksandar Vucic, na tentativa de ser liberado a participar do torneio. "Eu disse a ele que a Sérvia está com ele. Nossas autoridades estão fazendo de tudo para que o assédio ao melhor tenista do mundo termine imediatamente", disse Vucic.

O problema todo se deu porque, segundo o jornal, um membro de sua equipe solicitou um tipo de visto para a entrada no país que não se aplica a quem recebeu dispensa da vacina.

Assim que o erro foi constatado, o departamento federal de fronteiras entrou em contato com o governo de Victoria, parceiro na organização do torneio, para tentar solucionar o problema.

Mais cedo, na manhã desta quarta-feira (5), o primeiro ministro australiano Scott Morrison havia dito que Djokovic teria que se explicar ao chegar ao país para justificar sua isenção médica. Caso contrário, o melhor tenista da atualidade poderia ser barrado da Austrália e, consequentemente, do Grand Slam.

Se a evidência for insuficiente, ele não será tratado diferente de qualquer pessoa e voltará para casa no próximo avião”, disse o primeiro ministro.

“Se a isenção médica for dada por profissionais e isso tiver sido fornecido como condição para ele embarcar no avião, ele terá de mostrar isso quando chegar à Austrália”.

Por outro lado, a ministra de assuntos internos da Austrália, Karen Andrews, esclareceu que a isenção para Djokovic foi concedida pelo governo do estado de Victoria e pela organização do torneio, mas é o governo do país que tem a palavra final.

“Embora o governo de Victoria e a Tennis Australia possam permitir que um jogador não vacinado participe do Australian Open, é o governo nacional que fará cumprir as exigências na fronteira australiana”.

O líder do ranking da ATP é o atual tricampeão do primeiro Grand Slam do calendário e tem 9 títulos no total. Em 2021, o torneio será disputado entre 17 e 30 de janeiro com transmissão exclusiva pela ESPN no Star+.