<
>

Olimpíadas: Brasil vira contra a Argentina em jogo épico e segue 100% no volêi masculino

play
Olimpíadas: Dupla brasileira Bruno Schmidt e Evandro bate os chilenos Marcos e Estaban Grimalt e avança no vôlei de praia; VEJA (0:47)

Brasileiros venceram por 2 sets a um, com parciais de 21/15, 16/21 e 15/12 (0:47)

O Brasil segue com 100% de aproveitamento no vôlei masculino nos Jogos Olímpicos. E foi no sufoco. Em um jogo espetacular, épico até, a equipe do técnico Renan Dal Zotto venceu a Argentina de virada por 3 sets a 2 (19/25, 21/25, 25/16, 25/21 e 16 a 14) nesta segunda-feira (26), na Ariake Arena, em Tóquio, pelo grupo B.

O grande destaque do time argentino na partida foi Bruno Lima, que anotou 26 pontos; do lado verde e amarelo, Leal, cubano naturalizado brasileiro, foi o melhor pontuador, com 18 bolas viradas.

Clique aqui para ver o Quadro de Medalhas das Olimpíadas atualizado e siga os Jogos de Tóquio em TEMPO REAL!

Multicampeão dentro de fora do Brasil com o Cruzeiro, o técnico Marcelo Mendez mostrou no confronto todo seu conhecimento sobre o elenco brasileiro, mas acabou sendo surpreendido mesmo depois de a Argentina vencer os dois primeiros sets.

Mesmo com a diferença histórica de conquistas, o jogo começou com domínio hermano, que conseguiu forçar no saque e abriu vantagem no placar, forçando o pedido de tempo de Renan Dal Zotto para 'organizar a casa'.

Isso acordou o time brasileiro, que passou a conseguir virar mais bolas com Wallace, fato que fez a Argentina aumentar a marcação no ponteiro brasileiro.

Confiantes, os argentinos fecharam o primeiro set com o resumo do começo da partida: com o bloqueio dobrado e Wallace, fechando em 25 a 19.

Ainda que melhor no retorno para o segundo set, o Brasil seguiu sofrendo com a partida sólida da Argentina de Marcelo Mendez, que seguia forçando erros de ataque dos ponteiros com um bloqueio duro e contando com a atuação sólida do trio Bruno Lima, Palácios e Conte.

O time brasileiro conseguiu reduzir a vantagem argentina com a entrada de Douglas na vaga de Leal, e a passagem de Lucarelli para a ponta, mudança que começou a colocar a bola mais na quadra rival e colou a equipe no placar, não deixando os hermanos escaparem.

Em mais um momento de desconcentração do Brasil, os argentinos voltaram a crescer com o passe milimétrico de De Cecco, fechando o segundo set em 25 a 21.

As frustrações fizeram a seleção brasileira crescer na partida, e isso passou principalmente pela entrada do levantador Cachopa no jogo, que passou a ‘encontrar’ Leal em quadra. Foi o caminho dos atuais campeões olímpicos para voltar a incomodar no placar.

As melhoras na concentração e no passe foram a chave para a vitória brasileira no terceiro set por 25 a 16.

A derrota fez os argentinos acordarem na partida, e principalmente Bruno Lima. Destaque do time de Marcelo Mendez, o ponteiro Afyon Belediye (TUR) voltou a chamar a responsabilidade e botou bola no chão, aproveitando as dificuldades de bloqueio do Brasil.

O cenário mudou para os brasileiros justamente quando o bloqueio do Brasil passou a achar o ataque argentino, principalmente com Lucarelli. Após estar perdendo por seis pontos, o time do Brasil jogou a pressão para o outro lado da quadra e virou o placar e fechar o set por 25 a 21.

No tie-break, o jogo viveu o seu momento mais parelho. No lado do Brasil, os destaques ficaram por conta de Allan e Leal. O set decisivo ficou disputado até os 18 primeiros pontos, quando os dois países pontuaram 9 vezes. Em seguida, os brasileiros abriram vantagem de dois pontos e a mantiveram até o final, fechando o jogo por 16 a 14.

Próximos jogos

O Brasil tem agora duas vitórias no grupo B: contra a Tunísia e a Argentina. Ainda fazem parte da chave França, Estados Unidos e Rússia (que nestes Jogos competem como Comitê Olímpico Russo, ROC, na sigla em inglês), justamente a próxima adversária dos brasileiros.

A partida contra os russos acontece na próxima quarta-feira (28), a partir de 9h45 (de Brasília).