<
>

Ginasta Arthur Nory tem casa invadida e as suas medalhas roubadas: 'Tudo que eu lutei para conseguir foi embora'

play
Adeus, Ibirapuera: Magic Paula e Joaquim Cruz discordam sobre projeto que vai mudar solo sagrado do esporte olímpico brasileiro (6:59)

Governo do Estado quer transformar clássico espaço em local com arena multiuso e shopping (6:59)

Nesta sexta-feira, o ginasta Arthur Nory teve sua casa, na Lapa, zona oeste de São Paulo, invadida por bandidos e todas suas medalhas roubadas.

O crime ocorreu pela manhã, enquanto Nory estava fora treinando. Em conversa com o ESPN.com.br, o ginasta relatou que três homens armados invadiram a casa e renderam a empregada e um colega de Arthur. Ainda segundo o atleta, os bandidos levaram apenas as medalhas e alguns troféus conquistados por ele.

"Não levaram notebook, televisão, nada de valor que eu tenho aqui, apenas as medalhas, que não tem valor financeiro. São apenas metais banhados", disse.

O valor sentimental, porém, é grande. "O valor que ela tem é o sentimental para o atleta. De saber que ela representa tudo que eu passei, todos os treinos, sacrifícios, lesões e coisas que eu tive que superar para conquistá-la", disse.

"Foi só agora mais de noite que caiu minha ficha de que eu perdi tudo isso. Tudo que eu batalhei tanto para conseguir, todas as coisas que eu passei pra pegar essas medalhas, foram embora", completou.

Nory também confirmou que suas duas principais medalhas, o bronze olímpico no solo, conquistado na Rio-2016, e o ouro nas barras fixas do Mundial de 2019 estão guardadas em outro local.

Em sua rede social, o ginasta também fez um desabafo.