<
>

Como Pippen se sacrificou mal conseguindo andar e serviu de 'isca' no jogo do último título de Bulls de Jordan na NBA

Scottie Pippen foi um dos maiores jogadores da história da NBA. O que pouca gente sabia até o lançamento do documentário "The Last Dance", produzido pela ESPN dos Estados Unidos, era o sacrifício dele no jogo 6 das Finais de 1998 entre Chicago Bulls e Utah Jazz.

A partida, que marcou o último título dos Bulls na NBA, será exibida neste sábado pela ESPN e ESPN App, às 20h (Brasília).

Pippen já vinha sentindo dores nas costas desde o jogo 3, mas a lesão se manifestou de forma mais forte logo no começo da sexta partida, com a série 3 a 2 para Chicago.

"Eu comecei a partida e na primeira jogada fui enterrar e machucou minhas costas. Depois disso, já era. Falei para o MJ que não dava mais: 'Mano, eu estou acabado'", disse Pippen, em depoimento ao documentário.

"Ele sentia muita dor, estava incapacitado. Estava perdendo a mobilidade e a dor aumentava", relembra Chip Schaefer, preparador físico dos Bulls na época.

Se Pippen não conseguia estar 100%, ao menos a presença dele em quadra poderia atrair atenção do Utah Jazz no decorrer da partida.

"No intervalo, eu estava no vestiário, tentando usar calor, choque e tal para ver se conseguia fazer algo. Servi de isca o jogo inteiro, mas eles não sabiam", recordou Pippen.

"Michael falou 'Fique aqui, faça o que puder. Melhor aqui do que no vestiário'. Fiz das tripas coração naquele jogo", completou.

"Pippen mal conseguia andar na quadra, então eu estava chutando todas", disse Jordan, que terminou a partida com 45 pontos e deu a vitória aos Bulls com um roubo de bola e uma cesta a 5s do fim.

Pippen foi mais de uma vez aos vestiários, contando que recebia cinco minutos de tratamento nas costas para jogar cinco minutos em quadra.

De fato, sua ficha técnica naquele jogo não foi das melhores: 8 pontos, 3 rebotes, 4 assistências, 1 roubo e 2 tocos em 25 minutos. Mas sua importância se deu além dos números.