<
>

Eliminação do Brasil na Copa do Mundo completa um ano: quem são os jogadores que nunca mais voltaram à seleção

Jogadores do Brasil comemoram gol sobre a Croácia, na Copa do Mundo Lucas Figueiredo/CBF

Há exatamente um ano, em 9 de dezembro de 2022, a seleção brasileira foi eliminada da Copa do Mundo do Qatar pela Croácia.

Na ocasião, a equipe comandada por Tite saiu na frente, mas levou o empate e acabou caindo nas penalidades, dando adeus ao sonho do Hexa nas quartas de final.

Desde então, muita coisa mudou, em todos os setores...

Após meses turbulentos, o Brasil agora é comandado interinamente por Fernando Diniz, que, ao mesmo tempo que dirige o Fluminense, tenta organizar a reformulação do elenco canarinho.

Nos bastidores, um verdadeiro "furacão" passou pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol) nos últimos dias, inclusive retirando o presidente Ednaldo Rodrigues de seu cargo.

Um ano depois, seis nomes que estiveram naquele Brasil x Croácia nunca mais foram convocados pela seleção.

Veja abaixo quem são e os motivos:

  • Daniel Alves: atualmente está preso em Barcelona, na Espanha, sob acusação de agressão sexual. A promotoria pede nove anos de reclusão.

  • Alex Sandro: o lateral-esquerdo da Juventus sofreu com várias lesões musculares nos últimos meses. Na temporada 2023/24, só fez 5 jogos.

  • Thiago Silva: mesmo aos 39 anos, é titular absoluto do Chelsea e joga sempre. Pela idade, porém, não é visto como parte do ciclo para a Copa-2026

  • Fred: entrou em má fase no Manchester United e foi negociado com o Fenerbahçe. Aos 30 anos, também não é visto como parte do ciclo da Copa-2026

  • Fabinho: vinha jogando com frequência pelo Liverpool, mas foi negociado com o Al Ittihad, da Arábia Saudita, e acabou não sendo mais convocado

  • Everton Ribeiro: nome frequente nas listas de Tite, virou reserva no Flamengo durante 2023 e deixou de ser convocado pela seleção

Vale lembrar que a próxima grande competição a ser disputada pela seleção brasileira será a Copa América 2024, entre junho e julho do ano que vem.

Para o torneio, ainda é incerto se o time nacional será comandado por Fernando Diniz ou por um treinador efetivo ainda a ser contratado.

Como a ESPN antecipou nos últimos meses, Carlo Ancelotti, do Real Madrid, é o grande favorito da CBF.

Com a Confederação vivendo turbulência, porém, não há qualquer certeza que o italiano topará assumir o Brasil depois da temporada 2023/24.