<
>

Marinho se explica após polêmica, pede desculpas à torcida do Santos e detona Rueda: 'Péssimo presidente'

Marinho, atacante do Fortaleza, comemora gol sobre o Libertad, no Castelão, pelas oitavas da CONMEBOL Sul-Americana Vanderlene Terto/Zimel Press/Gazeta Press

Marinho gerou irritação na torcida do Santos na última quarta-feira (6) ao marcar contra o ex-clube e provocar a arquibancada na comemoração.

O gol do atacante abriu o placar na Vila Belmiro para o Fortaleza, que venceria o jogo por 2 a 1 e rebaixaria o Peixe pela primeira vez para a Série B do Brasileirão.

Neste sábado (9), dias depois do ocorrido, o atacante publicou um texto em seu perfil no Instagram e explicou a motivação da sua provocação polêmica, pediu desculpas à torcida do Santos e ainda aproveitou para fazer desabafo.

O ex-jogador santista relembrou a saída caótica do clube e fez duras críticas ao presidente Andrés Rueda.

Veja o texto publicado por Marinho em suas redes sociais

Olhar o lado humano!

Sentimento de torcedor é forte e incondicional e vai além de qualquer coisa. Porém, o Marinho do jogo deixou a raiva da minoria dos torcedores verdadeiros do Santos FC tomar conta.

Veio a raiva, o sentimento de chateação! Colocado para fora da pior forma! Desrespeitando na comemoração, e não no jogo, pois a hombridade, a honestidade e o respeito ao clube que defendo hoje que é o Fortaleza.

Mas deixei a raiva me consumir, os xingamentos que sofri no jogo todo me deixaram com raiva. E despejar tudo que recebi dos verdadeiros torcedores nos quase 3 anos de clube, não dos 15 mil que ali estavam!

Mas, não se tem volta! Já passou. O meu coração se entristeceu! Mas, não posso carregar uma culpa que não foi minha da situação que o clube chegou! E, para todos que se sentiram desrespeitados, peço perdão.

Mas, a vida, ela cobra de quem faz algo errado, quem rouba, quem mata, quem se vende, quem manipula resultado de jogo. Eu não, nunca fiz nada errado ao ponto de me sentir culpado por algo que não tive nada a ver!

A reação de um gol veio por todas as perseguições e reações de algo que viviam me julgando como mercenário, nome forte, usado sobre quem renunciou de dinheiro e foi negada uma renovação de contrato.

Busquei novos ares, e sei que deixei o melhor em cada minuto em que estive em campo. A comemoração foi apenas um desabafo de uma chateação que carreguei comigo. Voltar à Vila me trouxe memórias e realizações que obtive jogando lá. Gratidão eu sempre irei carregar!

Assunto que encerro aqui, e a todos que há anos vem me julgando e destilando ódio sobre eu e minha família, pela saída ruim e premeditada por um péssimo presidente de um clube que sempre honrei a camisa. Eu apenas lamento sua dor.

Vida segue, e o Santos FC seguirá sendo gigante!