<
>

Fluminense bate o Olimpia e encerra dois fantasmas do passado na Libertadores; veja retrospecto

O Fluminense fez valer sua vantagem construída no Maracanã e eliminou o Olimpia, chegando na semifinal da CONMEBOL Libertadores pela primeira vez em 15 anos. De quebra, o Tricolor ainda acabou com dois fantasmas do passado.

O primeiro é o próprio Olimpia. Ao lado do Atlético-MG, com duas quedas na extinta Copa Conmebol, e da da LDU, campeã em cima do time carioca em 2008 e 2009, o time paraguaio é o maior algoz da equipe em competições sul-americanas na história.

Agora, depois das quedas em 2013 e 2022, o Fluminense pode enfim dizer que venceu o grande algoz para conseguir ficar próximo novamente do pódio dos melhores times da América do Sul.

Além disso, essa foi a primeira vez que o time conseguiu se classificar na Libertadores jogando fora de casa. Enquanto a equipe nunca perdeu um jogo eliminatório atuando dentro de casa no torneio, em todas as vezes que teve que decidir na casa do rival, os cariocas saíram eliminados. Isso até esta quinta-feira.

A começar pelo Libertad, em 2011, nas oitavas de final. Depois de vencer por 3 a 1 no estádio Nilton Santos, a derrota no Paraguai foi de 3 a 0. Dois anos depois, justamente contra o Olimpia, uma derrota de virada por 2 a 1 sacramentou a queda brasileira nas quartas.

Na volta ao torneio, em 2021, depois de empatar em 2 a 2 contra o Barcelona-EQU, um novo empate em 1 a 1 acabou em eliminação por conta do critério do gol fora também nas quartas. No ano seguinte, a queda ocorreu nas fases preliminares. Nem a vitória por 3 a 1 na ida fez uma ‘devolução’ do Olimpia terminar bem na disputa de pênaltis.

Agora, o Tricolor poderá pensar na próxima decisão fora de casa. Contra o Internacional, na semifinal, a partida de volta será no Beira-Rio. Mais um adversário a ser batido na rota para a Glória Eterna.

Próximos jogos do Fluminense