<
>

Flamengo sem Pulgar: a dor de cabeça de Tite sem chileno e como 'pesadelos' potencializam importância do volante

Pulgar comemorando gol com a camisa do Flamengo Maga Jr/Agencia F8/Gazeta Press/Agencia F8

Definitivamente na briga pelo título, o Flamengo vai encarar o Atlético-MG, nesta quarta-feira (29), às 19h, pela 36ª rodada do Brasileirão. Em campo, Tite terá um desfalque importante: Erick Pulgar.

O chileno levou o terceiro cartão amarelo diante do América-MG e será baixa contra o Galo. E a ausência de Pulgar é um verdadeiro problemão para os cariocas no importante jogo no Maracanã.

Pulgar tem sido um dos grandes destaques da temporada. Ele é o ponto de equilíbrio de um time ofensivo e que gosta de jogar com a bola. Além da forte marcação, o meio-campista tem sido decisivo na frente.

Na temporada, foram dois belos gols, contra Santos e Vasco, ambos no primeiro turno, além de cinco assistências. A última dela veio na importante vitória diante do Red Bull Bragantino na penúltima rodada. Foi Pulgar quem enxergou Arrascaeta e desmontou a defesa rival com um passe para o uruguaio marcar.

Além de perder um jogador criativo, o Flamengo fica sem o seu 'pitbull' à frente da zaga. Tanto é que o time tem sido um com Pulgar e outro sem o chileno. Inclusive com Tite.

Desde que o novo comandante assumiu o comando da equipe rubro-negra, foram nove jogos, com seis vitórias, um empate e duas derrotas. As duas quedas, para Grêmio e Santos, vieram como um verdadeiro pesadelo nas pretensões rubro-negras no Brasileirão. Neste período, o Flamengo sofreu seis gols. Destes, Pulgar esteve em campo em apenas um.

O único gol que Pulgar não conseguiu fazer algo para impedir foi o de Yony González contra o Fluminense. Contra Santos, ele não atuou. Diante do Grêmio, os três tentos adversários saíram na segunda etapa, quando Pulgar já havia sido substituído. Ou seja, 83,3% dos gols sofridos pelo Flamengo com Tite foram sem o chileno.

Sem Pulgar, Tite sofre um problema que se agravou no clube na temporada: a falta de volantes, posição em que Vitor Pereira e Jorge Sampaoli tanto pediam reforços e não foram atendidos. Walace, da Udinese, e Wendel, do Zenit, foram procurados pela diretoria, mas as negociações não avançaram

Com isso, a única opção no setor tem sido Thiago Maia. Igor Jesus, cria da base, pouco atuou na temporada e deve integrar o banco. No entanto, os jogadores têm perfis diferentes e com certeza a ausência de Pulgar fará com que o comandante quebre a cabeça em busca de uma solução na prática.

O Flamengo entra na rodada na vice-liderança, com 63 pontos e empatado com o Palmeiras, ficando atrás no saldo de gols. Por outro lado, o Atlético-MG é 4º, com 60. Ou seja, emoção não falta para o duelo entre os times.

Próximos jogos do Flamengo: