<
>

Bola de Prata: Luciano vai de desacreditado a reforço do ano, 'salva' o São Paulo e recoloca o time na seleção do prêmio

play
Bola de Prata: Luciano vence como um dos melhores atacantes; Paulo Andrade analisa (1:11)

Premiação acontece nesta sexta-feira, 12h, com transmissão dos Canais ESPN e ESPN App (1:11)

Ninguém deu muita importância quando o São Paulo acertou uma troca e decidiu contratar Luciano. O tom de boa parte dos torcedores era até de pessimismo com o negócio. Mas o atacante desacreditado virou o melhor reforço da temporada no futebol brasileiro e termina coroado com o Prêmio ESPN Bola de Prata Sportingbet.

Luciano desembarcou no Morumbi em agosto, trocado por Éverton com o Grêmio. Chegou com o time em baixa após eliminação para o Mirassol no Paulista e sem poder ajudar na campanha que culminou com a eliminação ainda na primeira fase da Libertadores.

CLIQUE AQUI E VEJA A SELEÇÃO COMPLETA DO BOLA DE PRATA 2020

Sem alarde, já estreou fazendo gol diante do Bahia.

Depois, colocou outras 17 bolas nas redes e terminou o Campeonato Brasileiro como o artilheiro da competição com 18 gols, empatado com Claudinho, do Red Bull Bragantino. O São Paulo não tinha o máximo goleador da competição desde 2002, quando Luis Fabiano conseguiu o feito.

O tão sonhado título tricolor não veio. Mas Luciano foi um dos grandes responsáveis por fazer com que o sonho fosse pelo menos possível em determinado momento da competição.

Um número escancara a importância dele na equipe: sem o seu principal atacante, o São Paulo conquistou apenas 40% do pontos que disputou - com ele, esse número sobe para 61,5%.

Se não acreditou muito nele no começo, o torcedor tricolor logo percebeu que ele seria a maior referência dentro das quatro linhas. Não só pelo futebol apresentado, mas também por toda a garra na disputa de cada bola. E até pela frustração e pedido de desculpas quando o título já não era mais uma opção.

Luciano ainda recoloca o São Paulo na seleção do Bola de Prata depois de dois anos de ausência – o último presente foi Hernanes, em 2017.

O time do Morumbi é quem mais tem troféus na história da premiação – são 67 agora com o dois que Luciano leva para casa (atacante e artilheiro).

De desacreditado a ‘reforço do ano’, Luciano conquistou o coração de todo são paulino. E espera que em 2021 possa quebrar outro tipo de jejum no Morumbi: o de títulos.