<
>

Bola de Prata: Edenílson dá o tom no Inter e vai de 'office boy distraído' a melhor volante do Brasil

play
Bola de Prata: Edenílson vence como um dos melhores volantes; Mário Marra analisa (0:43)

Premiação acontece nesta sexta-feira, 12h, com transmissão dos Canais ESPN e ESPN App (0:43)

O melhor volante do Brasil na temporada 2020 sequer queria ser jogador de futebol. É verdade que ele também não era muito bom na profissão anterior, de office boy, mas Edenílson dificilmente imaginou que chegaria onde está. Motor do Internacional, ele mantém a tradição do clube em ter ótimos meio-campistas e leva o Prêmio ESPN Bola de Prata Sportingbet.

Edenílson começou no futebol profissional quase que por acaso. “Office boy distraído”, como ele mesmo se definia, vivia esquecendo documentos para trás e só pensava em atuar na várzea aos finais de semana. Até que o irmão decidiu levá-lo para um teste no Guarani de Venâncio Ayres. Passou de primeira, é claro, e mudou completamente a sua história.

CLIQUE AQUI E VEJA A SELEÇÃO COMPLETA DO BOLA DE PRATA 2020

Ele se profissionalizou pelo Caxias, quase foi para o Palmeiras, mas acabou desembarcando no Corinthians e fez parte da época mais vitoriosa do clube, conquistando a Libertadores e o Mundial.

Chegou ao Internacional em 2017, depois de passagem pela Itália, e sempre foi peça importante da equipe colorada.

Na temporada atual, porém, atingiu outro patamar! Se não era tão bom como office boy, chegou ao auge na função de levar a bola ao campo de ataque. Motor do Internacional, marcou seis gols e deu cinco assistências no Brasileirão. Nenhum volante participou de mais jogadas diretas de gol do que ele! E Edenilson não fez o gol do tão sonhado título por centímetros.

E a Bola de Prata vem justamente em um dos clubes do país com mais tradição na posição de volante.

Afinal de contas, o Inter é a grande casa de Falcão, um dos melhores da história na posição e também um dos grandes vencedores do prêmio.

Mas o Hall da Fama de volantes colorados que já levaram esse troféu ainda tem Carpegiani, Batista, Caçapava, Norberto, Fernando, Guiñazú, Aránguiz e Rodrigo Dourado.

O Inter – e o futebol brasileiro – agradece a Edmar, o irmão mais velho que colocou Edenílson no futebol.