<
>

Bola de Prata: De afastado a herói, Diego Alves coroa recomeço com prêmio histórico para o Flamengo

Dizem que todo bom time começa com um bom goleiro. E não poderia ser diferente em uma das melhores equipes que o Brasil viu nos últimos tempos.

Há um ano, poucos pareciam acreditar que Diego Alves terminaria 2019 como o melhor goleiro do Brasil, ainda mais com a camisa do Flamengo.

Não por falta de capacidade, é claro. Afinal de contas, ele sempre foi considerado um dos melhores do país na posição, dono de recordes expressivos na Espanha e um dos maiores pegadores de pênaltis da história do futebol.

Acontece que 2018 não foi nada como o planejado. Depois de uma lesão muscular, Diego Alves acabou afastado pelo clube por supostamente ter se rejeitado a viajar para ficar no banco de reservas.

Veja e reveja, detalhe a detalhe, como foi o Prêmio ESPN Bola de Prata Sportingbet

Mas ano novo, diretoria nova e... vida nova!

Diego Alves ficou. E disse: “Chega de promessas. Temos que ganhar títulos!”

E talvez nem ele imaginasse que a frase dita no dia 4 de janeiro fosse realizada com tanto sucesso. Carioca, Libertadores, Campeonato Brasileiro... e agora. Prêmio ESPN Bola de Prata Sportingbet!

"Primeiro, agradecer todos que fizeram parte dessa campanha, tem muitas pessoas que não aparecem. Nós que estamos no campo aparecemos mais, mas pessoas importantes estão por trás. Diretoria, funcionários, os jogadores... todos que fizeram parte. Quero parabenizar todos os goleiros da competição, ganhar esse prêmio é uma responsabilidade, até pelo nível dos goleiros aqui no Brasil. Obrigado a todos", celebrou o goleiro.

Um ano após ser afastado, ele coroa seu recomeço sendo o melhor goleiro do Brasil. Foram apenas 26 gols sofridos em 31 partidas disputadas, defendendo mais de 75% dos chutes que foram em direção ao seu gol.

Em um ano de recordes para o Flamengo, Diego Alves consegue mais um e se torna o primeiro jogador do clube a receber a Bola de Prata como goleiro. Era a única posição que o Fla nunca havia conquistado – nem mesmo com nomes como Raul Plasmann, Gilmar Rinaldi e Júlio César.

Só que o homem que já parou Messi e Cristiano Ronaldo quer mais. Quer o mundo. E quem é que vai duvidar de um time encantador e ainda com um goleirão desses?