<
>

Antigo sucessor de Cavani e Suárez é preso por usar arma antes de clássico Nacional x Peñarol

play
'Você estava no meio do campo e escorregava no sapo': ex-Fluminense conta com detalhes as maiores dificuldades passadas na Série C em 1999 (3:29)

Roberto Brum conversou com o ESPN.com.br com exclusividade (3:29)

Nicolás Schiappacasse foi detido pela polícia com uma arma antes de clássico entre Peñarol e Nacional


Antigo candidato a sucessor de Luis Suárez e Edinson Cavani no Uruguai, o atacante Nicolás Schiappacasse se envolveu em grande polêmica nesta semana. Antes do clássico entre Peñarol e Nacional, o jogador de 23 anos foi detido pela polícia portando uma arma.

Com passagem recente pelo clube carbonero, o atacante portava uma pistola de nove milímetros enrolada em alguns moletons. O atleta estava a caminho da partida em um carro particular, com um amigo e duas mulheres.

Schiappacasse não jogaria, por estar sem vínculo com o Peñarol, mas o presidente havia dito, um dia antes da abordagem policial, que a prorrogação de seu contrato estava quase acertada com a Sassuolo, clube detentor de seus direitos.

Antes de ser algemado, o atacante tentou argumentar com os policiais que a arma era uma encomenda para a torcida, para entrar no estádio, mas não sabia para quem entregar.

Campeão do Sul-Americano sub-20 de 2017 com a seleção do Uruguai, Schiappacasse foi formado na categoria de base do River Plate-URU, mas logo chamou a atenção do futebol europeu.

Foi vendido ao Atlético de Madrid em 2016, mas nunca chegou a atuar pela equipe principal, sendo emprestado para equipes como Parma e Famalicão, até chegar à Sassuolo em outubro de 2020, mas sendo emprestado ao Peñarol em março do ano seguinte.

Uma lesão grave, porém, encurtou sua passagem pela equipe cinco vezes campeã da Conmebol Libertadores, que o devolveu em agosto. Agora, um novo acordo vinha sendo amarrado.