<
>

Eliminatórias asiáticas: Japão domina China do início ao fim e se aproxima de vaga na Copa do Mundo no Catar

Vitória deixa os japoneses ainda mais próximos de uma vaga no Mundial, enquanto os chineses precisam de 'milagre' por vaga


O Japão está com um pé em uma das vagas para a Copa do Mundo do Catar, que acontecerá no fim deste ano. Nesta quinta-feira (27), os japoneses venceram a China por 2 a 0 e chegaram aos 15 pontos, ocupando a 2° posição do Grupo B das eliminatórias asiáticas.

Já a China, com apenas cinco pontos, precisa de uma campanha perfeita nas últimas três rodadas e ainda contar com o tropeço de outras equipes para conseguir uma vaga no mata-mata pré-repescagem, estando em um cenário bastante complicado na disputa por uma vaga.

Ligado desde o início, o Japão teve dez minutos de grande intensidade em cima da China. Logo nos oito primeiros minutos foram três finalizações e, em seguida, a seleção que mais atacou foi premiada com uma penalidade. Osako cobrou firme no canto direito e abriu o marcador para os japoneses.

O desenrolar do primeiro tempo foi um massacre japonês. A China mal conseguia trocar passes e forçava lançamentos longos ao ataque, mas sem qualquer sucesso. A prova disso está nos números. A China sequer finalizou ou teve algum escanteio nos primeiros 45 minutos.

O placar só não foi esticado pela seleção japonesa graças à presença do zagueiro Zhu, que foi o grande nome da China na primeira etapa ao se desdobrar para conseguir parar a criativa seleção japonesa. Mesmo com a posse de bola e transições ofensivas, o Japão também não obrigou Yan a trabalhar muito.

No início do segundo tempo, a tônica da partida era a mesma: bola com o Japão e a China tentando fechar os espaços. Foi com Osako a melhor chance dos japoneses. Em cruzamento pela direita, o centroavante fechou na pequena área, mas mandou por cima do gol.

O segundo gol não demorou a acontecer. Em cruzamento pelo lado esquerdo, Ito apareceu como um foguete no meio da área, testou firme para o chão, sem chances para Yan. O tento japonês deixou a partida um pouco mais aberta, mas ainda sem grande reação chinesa.

Os chineses só foram ameaçar a meta japonesa em cobrança de falta em lance que assustou o goleiro Gonda. No restante da partida, o Japão seguia com a posse de bola, mas pecava no último passe ou na finalização, desperdiçando chances de aumentar ainda mais o marcador.

O Japão ainda teve tempo de assustar a China com oportunidades perigosas nos minutos finais, mas não conseguiu o terceiro, fechando o placar em 2 a 0.