<
>

Diretor do Botafogo fala sobre momento do clube: 'Acho que vai ficar rico e falta pouco'

play
Novo investidor e de volta à elite do futebol brasileiro! Botafogo estreia no Carioca com muita expectativa para a temporada (2:04)

Boavista e Botafogo se enfrentam na terça-feira (25), às 21h (2:04)

Eduardo Freeland falou sobre a venda da SAF a John Textor


Diretor de futebol do Botafogo, Eduardo Freeland falou ao site globoesporte.com sobre a situação do clube e a mudança para SAF (Sociedade Anônima do Futebol), que permitirá que o Glorioso seja vendido ao investidor John Textor.

"A gente não está rico. As pessoas que estão comandando o clube hoje estão procurando respeitar muito uma palavra que eu tenho usado muito, e vejo o Braga usando também, que é responsabilidade. Acho que a gente vai ficar rico, e falta pouco para isso, mas a gente não está trabalhando com essa perspectiva. Enquanto o dinheiro não entrar, enquanto as assinaturas que garantam isso não tiverem todas realizadas, a gente tem que trabalhar com o que é a realidade do Botafogo atual. A gente tenta ser o mais responsável por isso", disse Freeland.

"Esse aporte financeiro vai ser gradativo, não vamos contratar seis, sete, oito jogadores ganhando R$ 500 mil, R$ 600 mil, R$ 800 mil como existe na expectativa dos torcedores. Vamos ser gradativos e nos reforçar aos poucos. Esperamos que nos próximos 30 a 40 dias consigamos apresentar alguns jogadores de impacto para a torcida, mas principalmente num nível técnico que vai dar uma resposta para reposicionar o Botafogo no mercado e nas tabelas das competições. É claro que nossa torcida tem sede de ídolos e jogadores representativos, vamos buscá-los, mas nosso maior foco é no nível técnico", analisou