<
>

Como Vinicius Jr. calou críticos no Real Madrid, superou números até da época do Flamengo e mudou 'da água para o vinho' com Ancelotti

Atacante brasileiro evolui no clube espanhol para se tornar um dos protagonistas merengues na temporada


A cada partida do Real Madrid, fica mais e mais evidente a evolução de Vinicius Jr. Desde a chegada de Carlo Ancelotti aos Merengues, o ‘Malvadeza’ assumiu um papel de protagonismo na equipe que até então não desempenhava.

É inegável que se trata do melhor momento da carreira da Vinicius Jr., e os números corroboram com tal afirmação. Para efeito de comparação, só na atual temporada o atacante de 20 anos já balançou as redes 15 vezes em 27 jogos. Essa quantidade de gols é maior do que em toda a passagem do atacante pelo Flamengo e é igual à soma dos gols que ele marcou desde a chegada ao Real Madrid até o fim da temporada 2020/21.

Tamanho crescimento está diretamente ligado à chegada de Carlo Ancelotti ao comando Merengue. Sob o comando de Zinedine Zidane, Vinícius não teve sequência e, portanto, não pôde contribuir e se desenvolver da mesma forma que vem fazendo atualmente.

Foi nas mãos do treinador italiano que Vinicius ganhou mais minutos dentro de campo, passando a ser presença constante nas formações titulares. O brasileiro foi titular em 25 das 27 partidas oficiais que fez sob o comando de Carleto. Ganhando sequência, com respaldo do novo comandante e com a confiança em alta, Vini foi potencializado dentro de uma equipe que voltou a ter um coletivo mais harmonioso, algo que vinha faltando na última passagem de Zidane.

Dentro desse contexto mais favorável, Vinícius passou também a ser um finalizador bem mais eficiente do que outrora. Se sob a batuta de Zidane, Vini foi tão criticado por esse atributo, com Ancelotti no comando os críticos não têm mais o que falar.

Com o italiano no comando, Vinícius Jr. precisa de apenas 4,7 chutes para balançar as redes e manda 51,4% de suas finalizações na direção do gol, marcas muito superiores em relação à época em que foi comandado por Solari ou Zidane.

Crescendo cada vez mais de produção, potencializado por um contexto mais tranquilo do que os anteriores e se tornando cada vez mais dominante dentro de um gigante europeu como o Real Madrid, fica cada vez mais difícil visualizar uma Copa do Mundo neste ano sem a ‘malvadeza’ de Vinícius Jr.