<
>

Fábio surpreende, anuncia saída do Cruzeiro e desabafa contra nova gestão: 'Não me deram outra opção'

Um dos maiores jogadores da história do Cruzeiro, o goleiro Fábio anunciou nesta quarta-feira que não seguirá no clube para 2022.

O atleta, que atuou 976 vezes pelo clube, havia negociado seu novo contrato, até o fim de 2022, com a gestão antiga, mas acabou ficando sem acordo com os novos gestores.

"Querida Nação Azul, perdão por esses dias de silêncio. Tentei com todo meu coração permanecer no Cruzeiro. Sempre fui transparente e vocês saberão a verdade agora. Meu desejo é permanecer até dezembro de 2022. A renovação do meu contrato foi acertada com o clube, através do presidente Sergio Rodrigues em novembro de 2021, que inclusive anunciou publicamente, faltando apenas as assinaturas dos documentos negociados. Mas esta nova administração não me deu mais essa opção", disse Fábio em post no Instagram.

"Quero deixar claro que aceitaria a readequação ao novo teto salarial, mas essa nova administração também não me deu essa opção. Em nenhum momento da conversa me deram a opção de continuar. Não fico triste pela minha história e amor ao clube, pois sei que meu amor e respeito ao Cruzeiro Esporte Clube nunca se apagarão, mas fiquei triste porque me sinto pronto para trabalhar e ajudar ainda mais o Cruzeiro. Lutei, insisti e tentei, infelizmente em vão", prosseguiu.

Na sequência, reiterou que aceitaria a redução salarial, mas que lhe "disseram que qualquer outro cenário estaria inviabilizado" a não ser uma despedida após o Campeonato Mineiro.

Por fim, o goleiro fez um forte desabafo.

"Sei o que passo em cada jogo, em cada volta para casa, em cada lágrima de dor ao ver nossa luta em voltar para a Série A. Não me deram nem a opção de receber dentro do teto e, muito menos, de ajudar o clube no Campeonato Brasileiro. A SAF Cruzeiro quer encerrar minha carreira imediatamente, mesmo estando em plenas condições físicas e técnicas para continuar jogando em alto nível e ajudando o Cruzeiro. Somente Deus pode determinar nosso tempo".