<
>

Com Atlético-MG quase campeão após 50 anos, quais são os maiores jejuns das grandes ligas pelo mundo

play
Com Atlético-MG próximo do título que não vem desde 1971, veja as maiores 'secas' das principais ligas pelo mundo (1:43)

Clube mineiro pode acabar com jejum de 50 anos nesta quinta-feira (1:43)

Atlético-MG precisa de uma vitória sobre o Bahia, nesta quinta-feira (2), em Salvador, para encerrar jejum de 50 anos sem conquistar o Campeonato Brasileiro. Único título alvinegro foi em 1971


O Atlético-MG está a uma vitória de soltar o grito entalado na garganta do torcedor há 50 anos. Nesta quinta-feira (2), o time de Hulk tem nova chance de confirmar o título do Campeonato Brasileiro.

Para isso, basta derrotar o Bahia na Arena Fonte Nova, às 18h (de Brasília).

Conquistar o Brasileirão é uma obsessão atleticana, já que o único título do clube no torneio foi em 1971, justamente o primeiro da chamada era moderna da competição. São 78 pontos na atual temporada, contra 70 do Flamengo, vice-campeão e único com remotas chances de estragar a festa alvinegra.

Tão logo confirme a taça, o Atlético-MG sairá de um grupo bastante incômodo: o de maiores jejuns das principais ligas de futebol do mundo. E quem permanece na lista que o Galo está na iminência de sair?

Veja abaixo as grandes filas de Alemanha, Argentina, Brasil, Espanha, França, Holanda, Inglaterra, Itália, Portugal e Uruguai.

Conteúdo patrocinado por Claro, Ford, Sportingbet e Ipiranga

ALEMANHA

Se contada apenas a 'Era Bundesliga', criada em 1962, o maior jejum pertence ao Munique 1860, campeão na temporada 1965/66. Mas, na era anterior à liga, o clube há mais tempo na fila é o Union Berlin, campeão no longínquo ano de 1905.

Outros jejuns históricos na Alemanha são: Freiburg (1907), Greuther Fürth (1929), Hertha Berlin (1931), Fortuna Dusseldorf (1933), Dresdner (1944), Mannheim (1949), Hannover (1954), Rot-Weiss Essen (1955), Schalke 04 (1958), Borussia Monchengladbach (1976/77), Colônia (1977/78) e Hamburgo (1982/83).

ARGENTINA

Entre fórmulas antigas e novas, o clube há mais tempo na fila de títulos nacionais no futebol Argentino é o Chacarita Juniors, campeão em 1969.

Também há outros clubes que não comemoram faz tempo. São os casos de Huracán (1973), Quilmes (1978), Ferro Carril (1984), Rosario Central (1986/87) e até mesmo o Independiente (2002).

BRASIL

Pertence ao Atlético-MG o maior jejum em Campeonatos Brasileiros, já que o troféu não vai para o clube desde 1971. Caso conquiste o título nesta noite, o Galo deixará o topo do ranking para o Guarani, campeão em 1978.

Na sequência, aparecem: Internacional (1979), Coritiba (1985), Sport (1987), Bahia (1988), Botafogo (1995) e Grêmio (1996).

ESPANHA

O futebol espanhol tem pouquíssimos clubes campeões: apenas nove. Assim, o jejum mais longo pertence ao Betis, vencedor na temporada 1934/35.

Atrás do ex-time de Denilson, Marcos Assunção e outros tantos brasileiros, aparecem Sevilla (1945/46), Real Sociedad (1981/82) e Athletic Bilbao (1983/84).

FRANÇA

Na França, o curioso é que os maiores jejuns pertencem a clubes que foram extintos há muito tempo: Olympique Lillois, campeão em 1932/33, e Roubaix-Tourcoing, dono do troféu em 1946/47.

Entre os times em atividade, a fila mais duradoura pertence ao Racing Club, campeão em 1935/36 e que hoje disputa divisões amadoras no país. Outras marcas ruins são: Sochaux (1937/38), Sète (1938/39), Nice (1958/59), Reims (1961/62), Strasbourg (1978/79) e Saint-Étienne (1980/81).

HOLANDA

Outro caso de que a fila pertence a quem hoje joga divisões amadoras: o HVV Den Haag, campeão em 1913/14 e que nunca mais voltou a levantar o troféu nacional. Há também o RAP, vencedor em 1898/99, mas extinto em 1914.

Para completar a fila, existem dois clubes que há tempos não ganham a primeira divisão holandesa são: Go Ahead Eagles (1932/33) e Sparta Rotterdam (1958/59).

INGLATERRA

No futebol mais badalado do planeta atualmente, a maior seca é do Preston North End, campeão em 1889/90, bem antes da criação da Premier League. A equipe está hoje na Championship, que representa a segunda divisão.

Entre os principais clubes do país, também vivem na fila: Sheffield United (1897/98), West Bromwich (1919/20), Newcastle (1926/27), Sunderland (1935/36), Tottenham (1960/61), Nottingham Forest (1977/78), Aston Villa (1980/81) e Everton (1986/87).

ITÁLIA

O Casale, atualmente na quarta divisão nacional, é dono do maior jejum do Campeonato Italiano. O clube foi campeão na temporada 1913/14.

De lá para cá, outros clubes também criaram uma grande fila. São eles: Genoa (1923/24), Bologna (1963/64), Fiorentina (1968/69), Cagliari (1969/70) e Torino (1975/76). Líder na atual temporada, o Napoli tenta o primeiro título desde a temporada 1989/90.

PORTUGAL

Assim como na Espanha, o número de campeões portugueses é pequeno: apenas cinco clubes. O "título" de maior jejum pertence ao Belenenses, que venceu pela última vez em 1945/46. Depois, aparece o Boavista, em 2000/01, enquanto o Sporting, atual campeão, quebrou na temporada passada uma série de 19 anos sem a liga.

URUGUAI

No futebol uruguaio, quem há mais tempo não levanta o campeonato nacional é o River Plate, desde 1914. Outros jejuns importantes pertencem a Rampla Juniors (1927) e Montevideo Wanderers (1931).