<
>

Flamengo: jornal revela como clube defasou departamento médico e paga menos que Vasco e Fluminense

play
'O torcedor do Flamengo que pede a saída do Diego sofre de ingratidão profunda', dispara Breiller Pires (2:26)

Diego Ribas, que pode ser titular na Copa do Brasil, foi defendido no F360: 'Ele dá as caras' | Assista ao ESPN F360 pela ESPN no Star+ (2:26)

Segundo reportagem publicada pelo jornal O Globo, o Flamengo tem sofrido para manter os profissionais do departamento médico por conta das baixas remunerações, perdendo nomes do setor para rivais do Brasil e também de fora do país


Enquanto o Flamengo tenta amenizar os bastidores para se concentrar apenas na partida pela semifinal da Copa do Brasil, o departamento médico do clube vive dias de críticas intensas. E isso passa diretamente pela cirurgia realizada no atacante Pedro, que precisou passar por um profissional particular para identificar uma lesão de menisco no joelho direito.

Segundo reportagem publicada nesta quarta-feira (27) pelo jornal O Globo, esse processo de baixa no setor vem acontecendo desde 2019, e se agravou após a saída de Jorge Jesus. Com investimento pesado em reforços para o elenco, o Rubro-Negro não estaria dando a atenção necessária à área médica sob o comando de Rodolfo Landim.

No centro deste debate está o desempenho do Departamento de Saúde e Alto Rendimento (Desar), que é chefiado por Márcio Tannure. De acordo com o diário, não houve investimento pesado em preparadores físicos, fisiologistas, fisioterapeutas e nutricionistas.

Isso passa principalmente pelos salários oferecidos a estes profissionais dentro do Flamengo, que remunera os membros do departamento médico com vencimentos inferiores àqueles que outros clubes de São Paulo, por exemplo.

Centros como Belo Horizonte e Porto Alegre também se encaixam neste cenário, que ainda conta com os rivais Vasco e Fluminense, que atravessam momento financeiro oposto àquele do clube da Gávea.

Com baixo poder de competição no mercado, o Flamengo tem perdido profissionais para seus concorrentes dentro do Brasil como Atlético-MG e Palmeiras, além de outros membros que deixaram o Rio de Janeiro para clubes da Europa, do Japão e do futebol árabe.

Ainda segundo o O Globo, este problema vem sendo vivido de perto por Renato Gaúcho, mas já foi sentido na pele por Rogério Ceni e Doménec Torrent.

A exceção neste processo aconteceu durante a passagem de Jorge Jesus pelo clube. Com um grupo de trabalho próprio e melhor remunerado, o português conseguiu conduzir de sua forma a preparação física do elenco, abrindo mão de uma forma de trabalho que rendeu ao Rubro-Negro o status de clube com menos lesões entre 2017 e 2019.

Entenda o caso Pedro

Pedro fez exames após a partida contra o Juventude, no dia 13 de outubro, e foi constatado apenas um edema ósseo. O atacante chegou a treinar no campo depois e por isso foi enfrentar o Athletico-PR.

Logo após o jogo contra o Furacão, Pedro voltou a sentir dores e realizou um novo exame. Desta vez, apontou uma lesão no menisco medial. Na coletiva após a derrota para o Fluminense, Renato Gaúcho afirmou que o jogador sentia dores antes da partida e teve a lesão agravada pela atuação em Curitiba.

De acordo com apuração de Pedro Ivo Almeida, jornalista da ESPN Brasil, o clube não informou o exame de Pedro após a vitória sobre o Juventude por 3 a 1 e 'segurou' até onde conseguiu a informação da cirurgia do atleta. E isso só ocorreu após uma pressão do próprio camisa 21.

O Flamengo diz que participou em conjunto da decisão da cirurgia, mas foi Pedro quem decidiu ir atrás de um profissional de fora e optou pelo processo cirúrgico. O clima não é dos melhores no Ninho do Urubu.

Pedro não estava contente com o desenrolar da situação. Procurou um médico particular para saber mais sobre as dores que vinha sentindo. Esse profissional particular solicitou um novo exame e viu uma lesão no menisco. E é o próprio médico, o Dr. Luiz Antônio Vieira, quem realizou a cirurgia, acompanhado pelo Dr. Tannure.

O atacante foi submetido a uma artroscopia no joelho direito para corrigir uma lesão no menisco medial. A boa notícia é de que o jogador não deve ser problema para a final da Conmebol Libertadores, marcada para o dia 27 de novembro, às 17h, que você acompanha ao vivo no FOX Sports e pela ESPN no Star+.

Ao contrário da cirurgia que fez em 2018 para tratar uma lesão no ligamento cruzado anterior do joelho direito, Pedro não ficará longos meses fora de combate. Internamente, o Flamengo trabalha com um prazo de recuperação bem menor: cerca de duas a três semanas, fazendo com que o camisa 21 retorne a tempo da final da Libertadores.

O Flamengo é o quarto colocado no Brasileirão, com 46 pontos após 25 jogos. O Rubro-Negro ainda tem três partidas atrasadas a disputar.

A equipe volta a campo nesta quarta-feira (27), para a segunda partida semifinal da Copa do Brasil. Após empatar em 2 a 2 com o Athlético-PR em Curitiba, o time da Gávea recebe o Furacão no Maracanã a partir de 21h30 (horário de Brasília).

Como na Copa do Brasil não existe mais o gol qualificado como visitante, qualquer empate leva a decisão para as penalidades. Se alguém vencer no tempo normal avançará à decisão.