<
>

Ex-São Paulo, Lucas Possignolo virou carrasco de Jorge Jesus e quebrou invencibilidade do Benfica

Cria das categorias de base do São Paulo, o zagueiro Lucas Possignolo fez o gol da vitória do Portimonense por 1 a 0 sobre o Benfica, que decretou o fim da sequência invicta de 13 jogos do time de Jorge Jesus.

O jogo, disputado no Estádio da Luz, foi válido pela oitava rodada do Campeonato Português, que tem transmissão pela ESPN no Star+. (Ainda não é assinante? Saiba mais informações aqui).

"Muito feliz pelo desempenho da equipe. Estamos fazendo uma grande campanha no Campeonato Português e a partida diante do líder da competição comprovou isso. Fizemos história e vencemos pela primeira vez o adversário em sua casa. Me sinto honrado em poder ter contribuído com isso. Não tenho dúvidas que esse gol é mais um marco em minha passagem aqui", disse Lucas.

O Portimonense, com quatro gols sofridos, tem ao lado do Sporting a defesa menos vazada da competição.

“Temos a melhor defesa da competição e isso comprova nosso poder defensivo. Trabalho para além de contribuir com o time no sistema defensivo, ajudar sempre que puder no ataque também. Contra o Benfica, deu certo”, afirmou.

Lucas começou como atacante em uma escolinha antes de ir para as categorias de base do XV de Piracicaba e virar zagueiro. Ele ainda passou um ano na Ponte Preta antes de chegar ao São Paulo. O zagueiro disputou três edições da Copa São Paulo de futebol júnior pela equipe do Morumbi.

"Eu pensava que depois da Copinha, que fui muito bem e fiz dois gols, teria uma chance de subir ao profissional. Não tive essa oportunidade e fiquei um pouco triste por isso. O São Paulo não me deu essa chance para mostrar meu futebol no time de cima. Mas no resto não tenho o que reclamar", disse ao ESPN.com.br, em junho de 2019.

"Eu joguei bem a minha última edição e fui para casa de férias. Fiquei sabendo que o Portimonense ficou interessado em mim e fui emprestado para Portugal jogar a 2ª divisão do profissional. Muita gente falando que lá eu teria visibilidade e fui com isso na cabeça. Eu vou para lá tentar jogar e ser feliz. Me deram uma chance de jogar logo", contou.

Na equipe comandada por Theodoro Fonseca, empresário brasileiro que tem ligação com o São Paulo, Lucas jogou seus primeiros jogos como profissional.

"Eu nunca tinha ficado fora do país e isso pesou no começo para mim até por causa do frio. Em questão de língua era tranquilo. A cidade era boa para se morar no verão com a praia. Eu me adaptei rápido ao time. Fiquei por lá seis meses, mas tive uma lesão no ligamento do joelho e voltei ao São Paulo".

Após uma cirurgia e a recuperação no Brasil, ele retornou para o Portimonense depois de um ano.

"Passei a jogar bastante e ficamos dois anos na Segunda Divisão. Um ano nós não subimos por apenas um ponto! Na temporada seguinte nós fomos campeões e subimos para a Liga Portuguesa. Foi uma grande experiência para todos nós", afirmou.

Um dos momentos mais marcantes para Lucas foi um gol antológico que ele marcou em uma cobrança de falta de antes do meio de campo contra o União da Ilha da Madeira. O chute dado a cerca de 60 metros da meta encobriu o goleiro, que estava adiantado.

"Esse lance me deixou marcado no futebol e foi um golaço mesmo! Eu gosto de conduzir abola e atacar bastante. Curto também subir para fazer gols de cabeça", afirmou.

Fã de Sérgio Ramos pela técnica, qualidade e raça em campo, Lucas viveu momentos especiais com o Portimonense. "Minha esposa estava grávida e eu fiz um gol de cabeça no Porto. Pude dedicar para ela e a minha filha que iria nascer", recordou.

Além disso, enfrentou vários atacantes que se destacaram no futebol europeu.