<
>

Thiago Silva revela arrependendimento por mentir para Dunga e explica desabafo após derrota para Argentina: 'Sabem que foi para elas'

A dois jogos de completar 100 partidas pela seleção brasieira, o zagueiro Thiago Silva, do Chelsea, falou sobre o momento mais difícil que viveu enquanto não aparecia nas convocações, entre 2015 e 2016, com Dunga no comando.

O Chelsea enfrenta o Southampton neste sábado, às 10h (Brasília), pela Premier League, com transmissão pela ESPN no Star+. Todas as partidas do Campeonato Inglês têm transmissão exclusiva pela ESPN no Star+. Ainda não é assinante? Clique aqui para mais informações.

Em entrevista ao site "globoesporte.com", o zagueiro de 37 anos disse que chegou até mentir para Dunga, o primeiro técnico a dar uma oportunidade ao zagueiro na seleção.

Nas quartas de final da Copa América de 2011, quando o Brasil foi eleiminado pelo Paraguai, Thiago Silva colocou a mão na bola e gerou o pênalti do empate paraguaio. A seleção brasileira seria eliminada nas penalidades.

"Cheguei no vestiário, após o episódio, e o Dunga me perguntou: 'Thiago, realmente bateu na sua mão?' Eu falei: 'Não, não bateu'. Então eu menti para ele naquele momento, tanto que ele sai dali, vai para a coletiva e parece que perguntam para ele e ele confirma aquilo que eu tinha falado para ele. Naquele momento com ele eu não fui leal. Foi o único momento que eu me arrependo de ter feito alguma coisa contra ele ou sei lá, que possa ter sido início, um start de uma confusão da cabeça dele", afirmou.

O zagueiro disse que Dunga e ele nunca conversaram sobre o assunto e relembrou de um outro episódio, na Copa América de 2015.

"No final do jogo, passando na zona mista, alguém me perguntou da braçadeira de capitão, se eu tinha ajudado o Miranda ou outro zagueiro, e eu falei: 'Logicamente que sim, a partir do momento que a gente sabe quem é o capitão a gente passa a ajudar da melhor maneira possível, dentro de campo, com palavra ou outra'. E não foi bem vista (essa declaração) pelo Dunga. E aí o Gilmar vem no meu quarto, tivemos conversa bem tranquila e eu falo: 'Gilmar, não falei nada demais, só respondi uma pergunta de um jornalista. Não poderia deixar sem resposta'. E não foi situação que falei 'Ah, não gostei dele ter colocado fulano como capitão', se eu gostaria de ter sido, outra pessoa. Nada, nada, não falei nada. Só respondi a pergunta que o cara gostaria de saber e o Gilmar falou: 'O homem não quer que você fale mais de braçadeira de capitão'. Eu falei: 'Beleza, não comento mais. Deixa um assessor de imprensa do meu lado e pede para os jornalistas não me perguntarem mais'. Ponto".

Thiago Silva também afirmou que não sabe até hoje o motivo pelo qual deixou de ser convocado neste período.

"A gente meio que imagina, porque já passou muito tempo, tem coisas que chegam novas, uns falam uma coisa, outros outras coisas. Mas foi o cara que me levou para a Seleção. Não teria por que eu ter problema com o cara que me levou pela primeira vez para a Seleção. Então acho que o problema foi mais dentro da cabeça dele. Com fatores externos do que propriamente comigo em si", analisou.

"Acho que foi um grande erro que ele cometeu me deixar de fora, não porque sou eu, mas pela maneira como foi lidada. Não tivemos uma conversa de ele chegar para mim e dizer: 'Thiago, não vou te convocar mais por causa disso, disso, disso, você está precisando melhorar isso, isso e isso, enquanto isso você não volta'", completou.

O desabafo após a Copa América

Antes da final entre Brasil e Argentina na final da Copa América deste ano, o zagueiro fez uma postagem nas redes sociais criticando brasileiros que estavam torcendo pelos rivais.

"Depois não venham se fazer de amigos pra conseguir seja lá qual for a sua intenção (entrevistas , ingressos para levar filhos e amigos nos jogos , camisas ou fotos)", postou. O zagueiro explicou o motivo da mensagem.

"Realmente, foi um desabafo, após um momento triste e várias coisas acontecendo. A gente acabou que, por um impulso do momento, por estar mexendo em internet, essas coisas, aí começou a passar várias coisas na cabeça. Eu acredito que você seja livre pra torcer por quem você queira torcer, mas acho que de alguma forma trair a sua pátria, indepententemente de quem esteja do outro lado, até que seja o maior da história - e eu já dei entrevista dizendo que (o Messi) é o maior da história porque foi o que eu vi -, mas eu nunca torceria para o Messi contra a minha seleção, contra o meu país. Então, isso me deixou muito triste, as pessoas podem fazer o que elas bem quiserem de sua vida, mas eu não concordava com aquele momento, então foi um momento de impulso ali. E quando falei de camisa, ingresso, foi realmente direcionado para algumas pessoas que na época de Paris chegavam na cidade e diziam: 'Pô, Thiago, hoje tem jogo, posso levar meu filho? Posso ir lá no CT ver um treinamento?' E essas pessoas estavam na torcida da Argentina, então foi para as pessoas direcionadas, e elas sabem, se tem um mínimo de inteligência elas sabem que foi direcionada pra elas".