<
>

De treinador novo e experiência renovada, Dodô conta como Shakhtar chega para encarar a Inter de Milão

O Shakhtar Donetsk caiu, mais uma vez, no grupo de Real Madrid e Inter de Milão na Champions League. Agora, porém, além da legião de brasileiros, o clube ucraniano conta com o italiano Roberto de Zerbi como comandante.

Em entrevista ao ESPN.com.br, o lateral Dodô revelou como o italiano vem melhorando o time nos aspectos defensivos e, também, na recuperação da bola.

“A gente tem aprendido muito com ele no sistema defensivo, pressão pós perda, uma intensidade durante o jogo todo. A gente tem aprendido muito a intensidade com a bola”, disse.

“Nossa equipe está envolvendo muito os adversários, nós progredimos muito na saída de jogo até o último terço do campo. Juntando a qualidade da nossa equipe e o estilo de trabalho dele, estamos evoluindo muito. E são três, quatro meses de trabalho”, completou.

Com 22 anos de idade, Dodô começou a sentir as mudanças de De Zerbi já surtirem efeito no seu próprio estilo de jogo, se tornando, segundo ele, mais versátil do que antes.

“Bastante, porque, antigamente, eu só jogava nas laterais dos campos. Com ultrapassagens, tocava e passava. Agora, baseado nos jogos dessa temporada, eu venho muito por dentro, para jogar como terceiro homem, e isso tem me dado muito mais repertório de jogo para atacar a profundidade”, avaliou.

Na temporada, a equipe já obteve uma conquista: a Supercopa da Ucrânia, conquistada na última semana contra o Dínamo de Kiev. Na decisão, o time já conseguiu colocar em prática alguns dos pedidos do treinador italiano.

“Ganhar um título sobre eles e jogando um belo futebol. Todos os gols que fizemos foram jogadas de treinamento. Profundidade, cruzamento, triangulação do passe. E eu creio que o restante da temporada vai trazer muito mais confiança para a gente”, afirmou.

Agora, o desafio é superar o tropeço na estreia da Champions contra o Sheriff Tiraspol para encarar a Inter de Milão. E a experiência vivida no grupo da última temporada pode ajudar no grande duelo.

“A nossa equipe está preparada, porque, ano passado, fizemos bons jogos contra eles. Eu creio que não só os jogos, mas a experiência dos jogadores que estão aqui ajudam muito a mesclar juventude com experiência. Ainda mais agora com o estilo de jogo do nosso treinador, eu creio que a equipe está bem preparada”, relatou.

E o sucesso pessoal de Dodô também é uma arma da equipe ucraniana. Nos últimos dois anos, o Shakhtar recusou ofertas de gigantes como Bayern de Munique e Tottenham pelos seus trabalhos.

“Nessa janela, tivemos não só sondagens, como propostas oficiais que o Shakhtar recusou. Eu sou muito feliz jogando aqui, o clube oferece todas as condições para jogar em alto nível”, revelou.

“Se em algum dia eu tiver que sair, que seja em uma negociação boa, também, para o Shakhtar. O interesse de grandes clubes é a certeza de que estou no caminho certo”, finalizou.