<
>

Guardiola revela 'próximo passo' em seleção, responde sobre assumir Brasil e diz o que pensa do time de Tite: 'Fantástico'

play
Gabigol, Hulk, Bruno Henrique, Dudu... Como ficaria a seleção brasileira só com jogadores 'domésticos'? (1:17)

Abel Neto montou escalação só com atletas que estão no Brasil (1:17)

Pep Guardiola quer assumir uma seleção depois de deixar o Manchester City. Segundo ele, está definido que esse será seu “próximo passo”, ainda que não tenha uma equipe favorita. O Brasil poderia ser uma possibilidade? Para ele sim, embora não acredite que aconteça.

“Uma seleção, será o próximo passo, sim. É o próximo passo”, resumiu ele, em evento da “XP Investimentos”, antes de completar sobre o Brasil. “Eu creio que o técnico da seleção brasileira sempre será brasileiro, não vejo um estrangeiro em seleções como Brasil.”

“Não penso em nenhuma. Mas depois de sete anos nesta equipe, creio que terei uma parada. Terei que parar um tempo, ver o que fizemos, rever inspirações. E, nesse processo, gostaria de treinar uma seleção, sul-americana, europeia... Jogar uma Copa América, quero ter essa experiência”, avaliou o técnico, também avaliou o atual time de Tite.

“Veja, as equipes atuais sempre vão perder para a história. Se comparar esse Brasil com o de Pelé, com o campeão de 94... O atual sempre perderá. Mas, se me pergunta o que penso da seleção de Tite... Fantástica. Alguns são jogadores meus, outros rivais, mas é fantástica.”

“Se comparar com o passado, as equipes do passado sempre ganham, porque não jogam mais. Mas o Brasil sempre é favorito, na Copa América, na Copa. Sempre foi e sempre será. Faz parte de sua cultura”.

Guardiola, inclusive, colocou o Brasil como um dos favoritos para vencer a Copa do Mundo no Catar em 2022 – mas sem apostar. “Estamos no Brasil, né? Tenho que dizer o Brasil. Mas não sei, não tenho ideia. As favoritas são as de sempre. Na Copa, as partidas são um pouco aleatórias. Como chegam as equipes, o ânimo, é curto... . Espero que seja uma boa Copa”.

play
1:17

Gabigol, Hulk, Bruno Henrique, Dudu... Como ficaria a seleção brasileira só com jogadores 'domésticos'?

Abel Neto montou escalação só com atletas que estão no Brasil

E ainda sobre a seleção brasileira, Guardiola aproveitou para enaltecer o time que disputou o Mundial em 1982. “Estamos aqui para ganhar títulos, como em toda empresa. Se não, fecharíamos. Mas, no esporte, há a emoção. Um jogador, uma equipe, pode gerar emoção para milhões de pessoas. Em 82, eu era pequeno, estava na Catalunha, com a Copa acontecendo, e lembro que todo o povo estava com o Brasil. Ninguém era brasileiro.”

“Por quê? Porque gostavam daquele time. Zico, Jorginho, Falcão, Cerezo... O povo torcia para o Brasil. Perderam, a Itália foi campeão... Mas é como a Holanda de 1978, não ganhou, mas todo mundo lembra mais do que a campeã. Porque produzem emoção.”

“Quando você consegue isso e ainda é campeão, nossa, é genial. Mas lembro do Brasil de Pelé também, de Garrincha, o Brasil sempre foi pioneiro no futebol e sempre vai ser. Quando um jogador para, vem cinco que são melhores ainda que o anterior. Tive muita sorte de ser companheiro e treinar muitos brasileiros. São pessoas que amo.”