<
>

Premier League se une com clubes e breca liberação de convocados por países que estão na lista vermelha da COVID-19

A Premier League oficializou nesta terça-feira após acordo com os clubes que não vai liberar atletas para as respectivas seleções de países que estejam na 'lista vermelha' de contaminações com a COVID-19. O Brasil está entre os envolvidos e conta atualmente com 21 jogadores disputando a Premier League.

Os goleiros Alisson e Ederson, o zagueiro Thiago Silva, os meio-campistas Fabinho e Fred e os atacantes Gabriel Jesus, Roberto Firmino, Richarlison, Raphinha, todos na Premier League, foram convocados pelo técnico Tite no último dia 13 de agosto para os próximos compromissos da seleção brasileira.

A decisão se aplicará a 60 nomes de 19 clubes da Premier League que viajariam para 26 países no mês de setembro. A decisão foi tomada após intensas reuniões entre a Federação Inglesa de Futebol e o governo britânico.

Por conta do aumento de casos da COVID-19 e a possibilidade do surgimento de novas variantes, não foi aberta nenhuma exceção aos atletas que estiverem na lista de convocação de países da 'lista vermelha', uma vez que teriam de cumprir quarentena quando retornassem.

Os dez dias de quarentena obrigatórios correm o risco de ser ampliados no caso de contaminação. A Federação Inglesa entende ainda que essa pausa seria maléfica ao condicionamento físico dos jogadores e aos clubes, que perderiam suas peças para as partidas da Premier League, copas nacionais e copas internacionais.

As equipes inglesas ainda demonstraram insatisfação para com a Fifa após a entidade estender o período em setembro para as partidas das Eliminatórias Sul-Americanas de nove para 11 dias, uma vez que implicará em um período ainda maior da perda de atletas.