<
>

Atleta olímpico explica como taekwondo ajudou carreira 'interminável' de Ibrahimovic

Um pé no gramado e outro no tatame. Dono de uma elasticidade incomum, principalmente para quem tem 1,95m de altura, Zlatan Ibrahimovic nunca escondeu sua paixão por artes marciais.

O sueco é faixa preta de taekwondo e pratica a modalidade desde a sua adolescência, o que explica alguns lances acrobáticos em sua carreira, como o golaço de número 500, quando atuava pelo Los Angeles Galaxy, em 2018.

O campeão olímpico de taekwondo Carlo Molfetta conheceu Ibra quando o sueco ainda atuava pela Inter de Milão e teve a oportunidade de acompanhar de perto o interesse do jogador pelas artes marciais.

"O Ibra jogava pela Inter quando fui visitar o time. Quando vi Ibrahimovic fiquei encantado. Não parecia correto trocar um pouco de futebol por um verdadeiro atleta de taekwondo ", disse Molfetta em entrevista ao jornal italiano Gazzetta Dello Sport.

Os ensinamentos aprendidos como lutador de taekwondo renderam a Ibra um estilo peculiar de atuar. Aos 39 anos, o sueco até parece desafiar o tempo com sua força e velocidade seja na seleção de seu país ou no Milan, seu atual clube. Molfetta acredita que o taekwondo ajudou Ibra a estender a sua carreira nos gramados.

''É um esporte que vai bem com todos os outros, não só o futebol. Se bem praticado não tem contra-indicações, apenas vantagens. O taekwondo leva você a trabalhar movimentos não naturais. Você só consegue alcancá-los por meio de movimentos corretos, que evita tensões. A partir daí o jogador explora possibilidades que ele não considerava anteriormente, como controlar a bola a dois metros de distância'', comentou o medalhista olímpico.

Para Molfetta, além da questão física, o taekwondo ainda permite que Ibra tenha um equilíbrio mental que o diferencia dos demais jogadores.

''De onde vem o conceito que Zlatan freqüentemente repete: o de respeito pelo oponente, sem medo? Ousadia e total autoconfiança. Ninguém tem essas habilidades igual a ele'', disse o atleta.

Torcedor da Inter de Milao, Carlo Monfetta competiu nos Jogos Olímpicos de 2004 e 2012, no qual conquistou uma medalha de ouro para a Itália. Mesmo com o seu ídolo no time rival, o atleta admite que continuará sempre na torcida pelo amigo.

''Óbvio que para um torcedor como eu, isso não é o melhor, mas só se pode admirar um campeão como esse, mesmo que agora ele faça gols pelo Milan'', brincou Molfetta.