<
>

Liverpool: Alexander-Arnold cita o que 'mudou' na forma de se jogar nas laterais e diminui queda de rendimento

play
Arnold elege o ponto em que conseguiu 'mudar' jeito de se jogar ao lado de Robertson no Liverpool: 'Somos mais técnicos' (1:02)

Lateral-direito falou com exclusividade à repórter Natalie Gedra, da ESPN Brasil (1:02)

Um dos grandes destaques do Liverpool nas últimas temporadas vitoriosas é o lateral-direito Trent Alexander-Arnold. Mesmo com 22 anos, o defensor se consolidou como um dos melhores em sua posição e é decisivo para os Reds na Premier League e na Uefa Champions League.

No atual ano, porém, algumas atuações abaixo do seu rendimento usual fizeram com que algumas críticas surgissem pela imprensa europeia. Em entrevista à repórter Natalie Gedra, o lateral diminuiu a fase vivida e destacou seu foco nos bons resultados.

“Eu coloco metas e níveis de expectativa em mim mesmo. E se eu não as alcanço, eu não fico feliz, eu quero estar melhor do que estou. Ainda não parei para analisar, até aqui, esta temporada, nós só passamos da metade do ano, ainda há muito caminho a seguir”, disse.

play
1:27

'Prefiro ter 38 jogos ruins, se isso significar vencer todos', dispara Arnold sobre período ruim no Liverpool

Lateral-direito recebeu críticas por queda de rendimento durante algumas partidas dos Reds

“Nos últimos três jogos, eu me senti melhor, senti um pouco mais de ritmo, podendo criar coisas para o time e me sentir como estive nas últimas temporadas. Mas, individualmente, isso não importa tanto para mim quanto vencer jogos. (Prefiro) ter 38 jogos ruins numa temporada, se isso significar vencer cada jogo”, completou.

O foco do jovem nos resultados positivos no lugar das atuações individuais não vem só de uma avaliação pessoal. Ao falar dos resultados negativos que o Liverpool acumulou nas últimas semanas, o jovem voltou a citar que não adianta se as atuações forem boas se os três pontos não forem conquistados.

“Para mim, a única coisa que realmente importa no futebol são os resultados. Nós podemos ter uma boa temporada, mas se não terminarmos no topo, não teremos uma boa temporada, realmente, em minha opinião”, apontou.

“No futebol, em alguns jogos, nós jogamos bem, mas não conseguimos transformar boas performances em vitórias. Isso, para mim, não faz com que se tornem boas partidas. Nosso trabalho é focar em ganhar jogos. Temos que ter boas performances, mas focar em vencer”, destacou.

Por fim, Arnold ainda falou sobre como conseguiu, junto com Andrew Robertson, criar novos mecanismos para os laterais atuarem no futebol atual. O inglês citou seus gols e assistências como um novo diferencial para os atletas da posição.

“Eu impactei em como os números, provavelmente, se integram ainda mais com o trabalho dos laterais, agora, com gols e assistências. Eu não posso pegar todos os créditos, tenho que dividir com Robertson, também. Ele me alavanca e eu o alavanco a quebrar esses recordes”, afirmou. “Não é sobre mudar o papel do lateral, mas é como podemos ser bons para o time e ajudar a vencer jogos. Se isso significa ter mais assistências e gols, então, é o que significa”, finalizou.