<
>

Novo Everton? São Paulo repete trauma, murcha sem Luciano e luta para mudar fim da história de 2018

O São Paulo trocou Everton por Luciano em busca de algo que o antigo camisa 22, atrapalhado por lesões musculares, não conseguia mostrar há tempos no Morumbi. E deu certo, com o ex-atacante do Grêmio liderando uma arrancada que levou o time à liderança do Campeonato Brasileiro e fez a torcida sonhar com o fim da fila que dura desde 2012.

O curioso é que agora o São Paulo enfrenta, com Luciano, o que já passou com Everton em 2018: um crescimento gigante a partir da chegada dos dois, seguido de uma queda tão grande quanto assim que eles se machucaram e passaram semanas no departamento médico. O fim da história será o mesmo? Cabe ao atual time dizer.

Há duas temporadas, o Tricolor sofreu tanto sem Everton que caiu da primeira posição para a quinta, fora até da fase de grupos da Conmebol Libertadores. E isso fica claro nos números.

Com ele, o São Paulo ganhou 70% dos pontos que disputou: 12 vitórias, seis empates e duas derrotas, sequência que fez o time de Diego Aguirre ser campeão simbólico do primeiro turno e liderar a competição até a 26ª rodada.

Everton se machucou em 26 de agosto, na vitória por 1 a 0 sobre o Ceará, no Morumbi. Foram nove jogos sem o atacante, o que fez o aproveitamento são-paulino despencar para 40,7%. Nesse meio tempo, o Palmeiras assumiu a liderança para não perder mais. Everton até voltou e disputou mais oito jogos até o fim do ano, mas nem isso ajudou: uma vitória e 29% de pontos ganhos.

Um fenômeno parecido acontece agora no Morumbi, pouco mais de dois anos depois. Luciano foi um dos grandes responsáveis pela evolução tricolor, ao ser decisivo para o time passar 17 rodadas sem perder no Brasileirão e abrir uma larga vantagem sobre os concorrentes. Com o camisa 11 em campo, o Tricolor fez 69,4% dos pontos: 14 vitórias, oito empates e só duas derrotas.

O segundo revés foi para o Corinthians, em 13 de dezembro, quando Luciano sentiu uma lesão muscular na coxa. De lá para cá, contando somente o Brasileirão, o São Paulo só venceu uma vez, ao fazer 3 a 0 no Atlético-MG. Depois, perdeu para Red Bull Bragantino e Santos, além de empatar com o Athletico-PR. Um aproveitamento de 33,3% apenas, abaixo da metade do que tinha com o atacante em campo.

A esperança tricolor é na volta de Luciano, que trabalhou com o grupo nesta segunda-feira (18) e tem chances de iniciar o duelo com o Internacional, quarta (20), no Morumbi. Será o confronto entre o líder e o vice-líder, separados por apenas um ponto na tabela. Com oito rodadas para o fim, é a chance do São Paulo não repetir o erro de 2018 e confirmar o favoritismo.