<
>

Flamengo leva 2 a 0 do Ceará no Maracanã, perde a segunda seguida vê pressão sobre Rogério Ceni crescer

A série de tropeços do Flamengo ganhou mais um capítulo amargo neste domingo (10). Dentro do Maracanã, a equipe acabou superada por 2 a 0 para o Ceará, e agora tem três jogos consecutivos sem vitória no Brasileirão. O Rubro-Negro foi superado com gol de Vina, ainda no primeiro tempo, e Kelvyn matou o jogo na segunda etapa.

Com o resultado, cresce ainda mais a pressão sobre Rogério Ceni. Com um ponto somado nos últimos 9 possíveis, a equipe da Gávea volta a desperdiçar a chance de colar na ponta da competição, principalmente após o líder São Paulo ficar ser derrotado pelo Santos.

Após a derrota neste domingo, o Flamengo estaciona nos 49 pontos, na quarta posição, e ainda poderá ver Atlético-MG e Internacional se distanciarem. Já o Ceará chega aos 39 pontos, se mantendo isolado na 9ª colocação.

O jogo

A surpresa começou uma hora antes de a bola rolar, quando o clube divulgou o time que iria a campo.

Ainda sem Diego Alves, Rogério Ceni decidiu tirar Hugo do gol. Cesar foi o escolhido para proteger a meta. Na defesa, Gustavo Henrique foi confirmado como titular. Já no ataque, Pedro retornou ao time. Depois de ficar no banco diante do Fluminense, o camisa 21 voltou a ganhar chance. Gabigol acabou barrado.

Com a bola rolando, as surpresas não pararam de acontecer.

Sofrendo com o forte calor no Rio de Janeiro, as duas equipes começaram a partida dando sinais claros do que seria o tom de todo o primeiro tempo: pressão do time da casa atrás do gol, e aposta dos visitantes nos ataques em velocidade. E a estratégia de Guto Ferreira não demorou para render frutos.

Léo Chú recebeu lançamento longo aos 12 minutos de jogo, encarou a defesa e tocou na outra ponta da área para Vina, que apareceu livre de marcação para encher o pé e abrir o placar no Maracanã.

A partir daí, a postura defensiva do Ceará redobrou. Com uma defesa de linhas bem próximas à frente da área, o time de Guto Ferreira deu poucos espaços ao Flamengo, que tinha a posse de bola, mas não conseguia levar perigo.

A chance mais clara do Rubro-Negro na etapa inicial aconteceu aos 26 minutos, quando Arrascaeta partiu para jogada particular, e chamou Pedro para tabela rápida. Frente a frente com o goleiro Richard, o uruguaio parou na defesa do arqueiro rival.

Incomodado com o desempenho do time, Rogério Ceni voltou para o segundo tempo com Diego no lugar de Gustavo Henrique, recuando Willian Arão entre os zagueiros.

Os times mudaram de lado no segundo tempo, mas o desenho do jogo seguiu igual: pressão do Flamengo e defesa intensa do Ceará.

A chance mais clara do empate apareceu aos 21 da segunda etapa. Após passe de cinema de Arrascaeta, Pedro apareceu frente a frente com o goleiro Richard, mas chutou forte, por cima do gol.

Dois minutos depois, o duelo entre goleiro e centroavante voltou a acontecer, com o arqueiro do Ceará fazendo um verdadeiro milagre para evitar o gol após a cabeçada do jogador rubro-negro.

Reserva, Gabigol entrou em campo apenas aos 24 minutos, no lugar de Everton Ribeiro.

Os jogadores do Flamengo chegaram a reclamar de um possível lance de pênalti após cruzamento de Arrascaeta que toca o braço do zagueiro Tiago. A arbitragem, no entanto, mandou o lance seguir.

Após a partida deste domingo, o Flamengo volta a campo apenas no dia 18, segunda-feira, diante do Goiás, fora de casa. Já o Ceará encara o Red Bull Bragantino, um dia antes, na Arena Castelão.

E agora?

Após a partida deste domingo, o Flamengo volta a campo apenas no dia 18, segunda-feira, diante do Goiás, fora de casa. Já o Ceará encara o Red Bull Bragantino, um dia antes, na Arena Castelão.

Ficha técnica

FLAMENGO 0 X 2 CEARÁ

GOLS: Vina (12') e Kelvyn (90') para o Ceará

FLAMENGO: César; Isla (Vitinho), Rodrigo Caio, Gustavo Henrique (Diego) e Filipe Luís (Renê); Arão, Gerson, Everton Ribeiro (Gabigol) e Arrascaeta; Bruno Henrique e Pedro (Muniz). Técnico: Rogério Ceni

CEARÁ: Richard; Eduardo, Tiago (Klaus), Luiz Otávio e Bruno Pacheco; Fabinho (William) e Fernando Sobral; Lima (Charles), Vina e Leo Chú (Saulo); Cleber (Kelvyn)Técnico: Guto Ferreira