<
>

Botafogo: muros do Nilton Santos são pichados com ameaças de morte e recados a Honda e Kalou

play
'Torcedores de Vasco e Botafogo são heróis': Zinho lamenta momento de cariocas e aponta Flamengo como exemplo (1:26)

Comentarista falou sobre a situação dos cariocas na Série A do Brasileirão (1:26)

A fase do Botafogo na temporada não é nada boa. Dentro de campo, apenas a 19ª colocação no Campeonato Brasileiro. Fora dele, problemas financeiros aos montes. E os reflexos do período conturbado têm revoltado a torcida.

Os muros do Estádio Nilton Santos, casa do Glorioso, amanheceram pichados nesta terça-feira (1) com ameaças de morte aos dirigentes e jogadores do clube.

“O Botafogo vale mais do que suas vidas”, diz uma das frases gravadas nos arredores do local. Outras como "Honda boi" e "Kalou volta para a África" também estampavam as paredes próximas à bilheteria.

O protesto acontece um dia após o anuncio de que Eduardo Barroca, novo técnico do Fogão, está com COVID-19 e não poderá comandar a equipe contra o Flamengo.

O clássico está marcado para o sábado, dia 5 de dezembro, no próprio Nilton Santos. Com 20 pontos, o Botafogo é o vice-lanterna da competição.

Na atual temporada, o Glorioso está indo para o seu quinto treinador. Antes de Eduardo Barroca, que vai para sua segunda passagem no clube, o Botafogo teve Alberto Valentim, Paulo Autuori, Bruno Lazaroni e Ramón Díaz como técnicos. Este último nem chegou a fazer sua estreia na equipe, já que se recuperava de um procedimento cirúrgico. Emiliano Díaz, seu filho e auxiliar, comandou o Alvinegro.

Fora de campo, o Botafogo passa por uma transição presidencial. Durcésio Mello, eleito na última semana, assume o Glorioso em janeiro de 2021 no lugar de Nelson Muffarej. O clube ainda vive a esperança da entrada da S/A.