<
>

Botafogo: Felipe Neto expõe bastidores de S/A, critica irmãos Moreira Salles e vê clube a caminho de 'inevitável falência'

O influenciador digital Felipe Neto usou suas redes sociais para expor bastidores dos planos, até o momento frustrados, de o Botafogo formar uma S/A. O desabafo veio pouco depois da derrota por 1 a 0 para o Cuiabá no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

Além do revés dentro de campo, a terça-feira também foi marcada por um episódio importante nos bastidores: a saída de Laércio Paiva, líder do plano de negócios da Botafogo S/A.

Felipe Neto, que é torcedor e também figura importante no cenário político do clube carioca, detalhou o projeto que transformaria seu time em uma S/A, criticou os irmãos Moreira Salles – outros botafoguenses ilustre – e explicou até por que desistiu de investir R$ 3 milhões.

Em seu desabafo, Felipe Neto afirmou ainda que o Botafogo caminha para a “inevitável falência” e vê o clube em “situação de calamidade”. “Qualquer um que diga o contrário, está mentindo”.

Leia, na íntegra, a publicação de Felipe Neto:

“Vou expor aqui o que sei, o que vi, o que acompanhei. Não terei mais qualquer amigo dentro do Botafogo depois disso, mas não ligo mais. O Botafogo caminha para a, agora, inevitável falência e ninguém mais vê saída. Então vou falar.

Em 2018-19, em situação caótica, surgiu um anjo no Botafogo. Um homem de São Paulo que, mesmo sendo um p... gestor financeiro, nunca entrou para fazer parte das corjas que comandaram o clube. Seu nome: Laercio Paiva. Ele montou o projeto S/A do zero, com o brilhantismo da sua mente.

Naquela época, era cada bobajada que saía na imprensa esportiva... Serviu para eu ver como uma parte considerável das notícias de futebol são apenas orelhadas sem fonte. Inventaram que o projeto era da Ernst&Young e que tinha sido contratado pelos irmãos MS (Moreira Salles). Uma bobagem.

Os irmãos haviam sim contratado uma consultoria da E&Y, que no final não teve praticamente qualquer serventia. O projeto era criado e tocado pelo Laercio enquanto a torcida era informada que o clube ‘esperava a gigantesca consultoria paga pelos irmãos’.

O Laercio, inteligente para c..., até colocou a logo da E&Y no projeto, para passar credibilidade aos investidores. Afinal, embora a consultoria não tenha mudado nada no projeto da S/A, a empresa tem uma colossal credibilidade no mercado.

Nessa época, fui procurado pelo Laercio, que me apresentou o projeto da S/A. Amigos, eu já criei muita empresa. Já vendi empresa, já fali, já fiz negócios internacionais, nacionais, já vi de tudo. Nunca eu vi algo tão lindo e promissor quanto o 1° projeto da S/A do Laercio.

O projeto era claro: juntar em torno de R$ 250 milhões com investidores, usar para sanear as dívidas do clube (praticamente zerar a dívida com negociações à vista) e ainda sobraria recursos para investir no futebol. Criaria a gestão profissional. CEO, board, diretores, etc.

O projeto era incrível, colocaria o clube em outro nível. Ainda por cima, o exit para os investidores era fácil: deixaria o clube em situação de ponta e ofereceria a gigantescos investidores internacionais. Eu mesmo me dispus a injetar R$ 3 milhões no projeto (não sou os MS).

O Laercio, sozinho, conseguiu convencer tanta gente que a S/A parecia impossível de não sair. Juntou-se a ele o incrível advogado André Chame, meu amigo e profissional impressionante. Com os dois na tomada de decisões, não tinha como dar errado! Os irmãos veriam isso...

O problema é que os irmãos se tornaram a maior novela da história centenária do Botafogo. Eu não participei de nenhuma reunião com eles, mas ouvi relatos sobre inúmeras, de fontes diferentes. E a única coisa que eu posso dizer é: que inferno do cacete!

Meses se passaram, e o Laercio veio até a minha casa. Seu olhar era diferente. Aquela gana, aquele fascínio, tinha acabado. De repente eu descubro que o dinheiro agora seria usado diferente. Nada de sanar dívidas. Agora o foco seria investir pesado no futebol.

Eu perguntei como aquilo era possível. O Laercio é um cara tão maravilhoso que ele chamou a responsabilidade para ele, dizendo que confiava, que era o melhor caminho. Mas não sou burro. O comitê havia mudado o projeto na marra, para mim isso não resta a menor dúvida. Ele foi vencido.

Com o projeto novo, não senti mais segurança. E não senti nenhuma confiança de que a turma que controla o Botafogo há décadas deixaria o clube de fato ser tocado por profissionais. Foi quando avisei que não mais seria investidor. Eu não poderia arriscar R$ 3 milhões dessa forma.

Contudo, o Laercio continuava, guerreiro, tentando viabilizar a S/A, junto do Chame. Os irmãos, porém, não queriam mergulhar de cabeça. O que é bizarro, visto que o valor que eles precisavam investir era basicamente “dinheiro de bala” para o patrimônio deles.

No meio, o Botafogo quase foi pro brejo. Os irmãos se aproximaram de dois aproveitadores que convenceram que o melhor caminho era fechar com uma empresa intermediadora de investimento europeia. Essa empresa tinha sido enxotada do time que tinha se associado. Foram dias de terror.

Por fim, eu me afastei. Não via mais como aquilo ser resolvido. As últimas notícias que recebi foram que os irmãos tinham se recusado a colocar o montante necessário para fechar o projeto e o Laercio não tinha mais como continuar. Hoje veio a notícia de que ele saiu.

Uma observação: eu quero deixar muito claro que o lance do comitê ter mudado o projeto em relação às dívidas é uma opinião minha. Eu não vi isso acontecer, apenas não imagino quem mais teria pressionado para mudar o projeto de saneamento de dívidas para investimento em futebol.

A saída do Laercio é o fim do projeto da S/A. A menos que ele volte, esse projeto não acontecerá. Ou até pode vir a acontecer, mas totalmente esfrangalhado. E agora o Botafogo está em situação de calamidade. Qualquer um que diga o contrário, está mentindo.

Não vou ver meu clube do coração acabar sem tentar tudo que eu posso para expor o que está acontecendo e, quem sabe, ajudar a chacoalhar a árvore. Já tem gente muito p... me xingando no Whatsapp. Não posso fazer nada. Tudo que falei aqui ou foi fato, ou opinião (deixei claro o que foi opinião).

Agora, a única saída que resta ao Botafogo é o projeto de recuperação judicial, que é uma lástima. Tão ruim que o Laercio não fará parte. O projeto é apenas adiar o inadiável. A falência completa do clube. Sem o projeto S/A, há 99,9% de certeza de que o Botafogo não irá sobreviver.

Por fim: nunca vou entender o fascínio dos irmãos em investir tudo que for preciso no CT, mas se recusarem a botar o que era realmente necessário para a S/A acontecer. Nunca. Absolutamente nunca! O clube tende a falir sem a S/A, mas é melhor investir no CT? NUNCA!

Finalizo com duas súplicas:

1- Volta, Laercio! 2- Irmãos, acordem c...!

E uma observação: quem acha que o Montenegro é o culpado, não sabe que o clube já estaria falido se não fosse por ele. Não existiria Botafogo hoje se ele não existisse. Não é exagero.

Só pra finalizar... Amanhã o Montenegro e outros membros do comitê provavelmente me chamarão de mentiroso. Repito: o comitê ter mudado o projeto é só uma opinião minha. Eles usarão isso pra dizer que eu menti, etc. Não tenho nada a ganhar aqui, só a perder.

Qualquer um que diga “agora que os irmãos Moreira Salles não colocarão dinheiro mesmo” - só pode estar de sacanagem com a nossa fuça! Ou não entendeu a história, ou está mal intencionado. O Laercio já saiu do projeto porque o dinheiro não veio! A menos que mudem de ideia, acabou!”