<
>

Lulinha compara Corinthians atual com o de 2007 e conta como virou 'bordão' na torcida do Ceará: 'Joga fácil'

play
Algemas, tabefe, pegador de pastel no mamilo e saco plástico: André Santos conta como Ronaldo 'corrigiu' Dentinho (1:54)

Ex-lateral é o convidado de Edu Meneses no Além da Bola desta semana (1:54)

Lulinha surgiu em 2007 como uma grande esperança no Corinthians em meio a um cenário de caos político e esportivo. Com apenas 17 anos, o jovem não conseguiu ajudar a evitar o rebaixamento para a Série B em 2007.

Treze anos depois, o clube alvinegro vive outra situação de risco no Brasileiro. Sem conseguir emplacar uma sequência de vitórias, o time de Dyego Coelho precisa derrotar o Ceará fora de casa, no domingo, às 20h30 (de Brasília), para evitar a zona da degola.

"Tenho acompanhado a fase difícil do Corinthians, mas acredito que não vejo semelhança com 2007. Hoje, é um clube bem diferente, muito mais estruturado, organizado e com um elenco mais capacitado para sair dessa situação. Ao contrário do nosso elenco, que, infelizmente, era um pouco mais limitado. Mesmo assim, não deixamos de lutar dentro de campo", disse, ao ESPN.com.br.

"O elenco do Corinthians de 2020 é forte e é uma fase que está passadno, mas tenho certeza que irá mudar e subir na tabela. Se Deus quiser não será um ano parecido com 2007", analisou

Curiosamente, os dois clubes estão no currículo de Luís Marcelo Morais dos Reis. Conhecido no futebol como Lulinha, ele começou no futsal do Santa Maria, em São Caetano do Sul, no ABC paulista, antes de chegar ao Corinthians. Quase 15 anos depois, defenderia o Ceará.

O início no futebol aconteceu com uma grande dose de sorte, aos oito anos de idade. Ele tinha ido apenas acompanhar o amigo Rafael Pipoca no teste, mas recebeu a chance de jogar e foi tão bem que acabou ficando.

Enquanto Pipoca largou a bola e foi trabalhar na NET, tendo exercido várias funções, incluindo instalador de TV a cabo, Lulinha virou a grande joia da base corintiana.

Ele marcou mais de 300 gols, foi agenciado por Wagner Ribeiro e teve seu nome especulado em gigantes como Manchester United e Chelsea depois de brilhar na conquista do sul-americano sub-17 pela seleção brasileira. Artilheiro da competição com12 gols em 9 jogos, o meia ofuscou até mesmo o colombiano James Rodríguez, hoje no Everton.

Logo após a competição, ele foi promovido ao time profissional do Corinthians, que caiu na última rodada do Brasileiro depois de empatar com o Grêmio em Porto Alegre.

Após a partida, os jogadores entraram no ônibus do clube, mas um integrante da torcida organizada Gaviões da Fiel estava escondido no banheiro do veículo e saiu distribuindo pancada nos atletas.

Controlado pelo elenco e seguranças do clube, o torcedor foi preso pela polícia, mas acabou liberado no dia seguinte.

play
1:54

Algemas, tabefe, pegador de pastel no mamilo e saco plástico: André Santos conta como Ronaldo 'corrigiu' Dentinho

Ex-lateral é o convidado de Edu Meneses no Além da Bola desta semana

Saída do Corinthians para Ceará

Com a chegada de Mano Menezes, Lulinha perdeu espaço no Corinthians e fez poucos jogos em 2008 e 2009. Depois disso, rodou por Estoril Praia, Olhanense, Bahia até chegar ao Ceará, em 2013.

Na primeira passagem pelo “Vozão”, ele viveu uma das melhores fases da carreira: marcou 13 gols em 35 jogos.

"Tenho muito carinho pelo Ceará e pela torcida. Foi uma passagem muito bacana e bonita. Vou levar comigo para sempre. É o clube no Brasil em que tenho mais gols. O que mais marcou foi a frase que pegou: 'joga fácil demais, esse Lulinha'. Aonde eu ia me chamavam assim. Isso ficou marcado para o senhor que criou isso porque ele está saindo candidato a vereador com essa frase (risos). Ele ficou conhecido por isso"

"Ainda recebo muitas mensagens da torcida nas redes sociais. A gente montou um trio de ataque com Mota e Magno Alves, que fez muitos gols. Eu estava com dois ídolos da torcida e foi fácil jogar. Consegui contribuir com aquele time", contou.

Depois de defender o Criciúma, ele retornou ao Ceará para jogar a Série B de 2014, mas a segunda passagem foi mais discreta.

Em 2015, jogou o Estadual no Red Bull Brasil e ajudou ao Botafogo a subir para a Série A do Brasileiro. O meia ainda defendeu Mogi Mirim e Pohang Steelers (Coreia do Sul), no qual marcou 17 gols em 33 jogos em 2017.

Lulinha ainda passou por Al Sharjah (Emirados Árabes) e Pafos (Chipre) até chegar ao Jubilo Iwata, que disputa a segunda divisão do Japão. Em 19 jogos pela time japonês, o meia de 30 anos marcou três gols.