<
>

Real Madrid estreia em LaLiga sem gastar um centavo em contratações pela primeira vez na era Florentino

O Real Madrid criou a fama – muito bem justificada – de abusar do dinheiro para contratar novos jogadores, especialmente estrelas que dessem sequência à história dos "galácticos" criada por Florentino Pérez. Mas o atual momento do futebol, de crise financeira por conta da COVID-19, quebrou uma sequência de gastanças.

Pela primeira vez desde que o presidente assumiu, o Real estreia em uma temporada sem colocar um centavo no mercado de transferência. A equipe abre a campanha de defesa do título de LaLiga neste domingo (20), contra a Real Sociedad, fora de casa. A ESPN Brasil e o ESPN App transmitem a partida ao vivo e com exclusividade, a partir das 16h.

Zinedine Zidane não confirmou a equipe que vai a campo, mas qualquer um dos 11 titulares escolhidos pelo treinador não será uma novidade à torcida, já que o Real manteve praticamente o elenco inteiro de uma temporada para a outra. As baixas são James Rodríguez, vendido ao Everton, e Gareth Bale, enfim liberado para o Tottenham.

Estrear sem nenhum reforço (a novidade é Martin Odegaard, de volta após empréstimo) é um cenário bem diferente no Santiago Bernabéu, principalmente na gestão de Florentino. Basta lembrar que, há pouco mais de um ano, o presidente investiu 352,5 milhões de euros para contratar nomes como Eden Hazard, Luka Jovic, Eder Militão, Ferland Mendy e Rodrygo, entre outros.

Essa foi o maior gasto em uma janela, seguido de 2009, quando o Real Madrid torrou 258,5 milhões de euros no pacotão com Cristiano Ronaldo, Kaká, Karim Benzema e Xabi Alonso, principalmente.

Fecha o pódio de gastos a janela de verão de 2018, com 162,75 milhões de euros investidos em Vinicius Jr., Courtois, Odriozola, Mariano e Brahim Díaz.

Vale lembrar que Florentino Pérez teve dois períodos no comando do Real Madrid. A primeira passagem, de 2000 a 2006, foi interrompida por um pedido de renúncia. Três anos depois, ele ganhou novamente as eleições e segue no poder até hoje.

Veja abaixo os gastos de cada temporada (em euros) e o principal reforço contratado ano a ano por Florentino Pérez:*

2000 - 119,25 milhões - Luis Figo (60 milhões)

2001 - 77,5 milhões - Zinedine Zidane (77,5 milhões)

2002 - 45 milhões - Ronaldo (45 milhões)

2003 - 37,5 milhões - David Beckham (37,5 milhões)

2004 - 58,7 milhões - Walter Samuel (25 milhões)

2005 - 89,5 milhões - Sergio Ramos (27 milhões)

2009 - 258,5 milhões - Cristiano Ronaldo (94 milhões)

2010 - 93 milhões - Ángel Di María (33 mihões)

2011 - 55 milhões - Fabio Coentrão (30 milhões)

2012 - 38,5 milhões - Luka Modric (35 milhões)

2013 - 175,5 milhões - Gareth Bale (101 milhões)

2014 - 126 milhões - James Rodríguez (75 milhões)

2015 - 85 milhões - Mateo Kovacic (38 milhões)

2016 - 30 milhões - Álvaro Morata (30 milhões)

2017 - 40,5 milhões - Theo Hernández (24 milhões)

2018 - 162,75 milhões - Vinicius Jr. (45 milhões)

2019 - 352,5 milhões - Eden Hazard (115 milhões)

* Números do site Transfermarket