<
>

Barcelona: Pjanic é apresentado com a camisa 8 e elogia Messi como 'provavelmente o melhor jogador da história'

play
Pjanic chega cheio de estilo ao Barcelona, assume camisa 8 e faz embaixadinhas em apresentação (1:19)

O jogador de 30 anos foi envolvido em uma troca que o levou ao Camp Nou enquanto Arthur acabou na Juventus (1:19)

Nesta terça-feira, o Barcelona finalmente apresentou o meia bósnio Miralem Pjanic. O jogador de 30 anos foi envolvido em uma troca que o levou ao Camp Nou enquanto Arthur acabou na Juventus.

Pjanic herdou a camisa 8 do brasileiro (também histórica com Andrés Iniesta) e disse que estar no Barça é o "sonho" de sua vida.

"Teria gostado de chegar ao Barça aos seis anos", brincou o sérvio. "Venho de uma grande equipe, porque é muito difícil sair de um clube como a Juventus, a quem sempre serei grato, mas era o momento de ter novos objetivos e chegar aqui é o máximo".

"Sair da Juve é complicado, mas depois de nove anos na Itália precisava de novas metas, e o Barça sempre foi o sonho de minha vida".

O jogador revela que conversou com o técnico Ronald Koeman "para saber um pouco como ia tudo".

"Temos que esperar que eu me some ao grupo e logo veremos ele quer que eu jogue e como quer me utilizar. A temporada é longa, e todos teremos oportunidades. Posso jogar em todas as posições do meio, e vou dar o melhor de mim", falou.

Pjanic entrará para um seleto grupo de jogadores que atuou ao lado de Cristiano Ronaldo e Lionel Messi. Ele comentou sobre o imbróglio envolvendo a quase saída do argentino do Camp Nou e elogiou o novo companheiro.

"Para mim era impossível (ver Messi com outra camisa), e pensava que tudo acabaria se acertando. Minha vontade era jogar com ele. Conheci o Messi há dois ou três dias e ainda não pude entrenar nem jogar com ele, mas credio que é um extraterrestre, provavelmente o melhor jogador da história", disse.

"Foi uma sorte jogar com futebolistas como Cristiano Ronaldo e Totti. Mas agora é o máximo e quero me divertir com toda a equipe. Os 25 seremos importantes, porque creio no espírito do grupo", falou o também ex-meia de Lyon e Roma.