<
>

Mídia portuguesa explica como Benfica garantiu Everton Cebolinha, 'uma das maiores pretensões de Jesus'

play
Renato Gaúcho revela conversa com Everton Cebolinha: 'Entrou no meu quarto e pediu 'pelo amor de Deus' para jogar' (2:05)

Jogador está próximo de fechar com o Benfica, mas atuou no Gre-Nal da última quarta-feira (2:05)

Everton 'Cebolinha' é aguardado em Lisboa entre domingo (9) e segunda-feira (10) para realizar uma bateria de exames e finalmene assinar o contrato de cinco anos com o Benfica. É o desfecho animador para o time de Jorge Jesus em uma negociação de poucos dias, mas que exigiu longas conversas entre diretores portugueses e do Grêmio e chegou a ficar ameçada.

“A Bola” e “O Jogo”, os principais jornais portugueses na cobertura esportiva, dizem em suas edições deste sábado (8) que ainda na última sexta detalhes eram acertados para que o acordo fosse encerrado positivamente.

O Benfica concordou em pagar 20 milhões de euros (cerca de R$ 128 milhões) ao Grêmio em três parcelas anuais e ainda asseguraram 15% dos direitos do jogador aos gremistas para serem quitados numa venda futura.

A diretoria do clube da Luz desejava parcelar a quantia em cinco anos, mas não conseguiu. O Grêmio tem interesse em receber rapidamente para reforçar o elenco e ajustar as contas. “O Jogo” diz que as parcelas têm juros anuais.

O conselho administrativo do Benfica também teme se os 15% futuros não podem comprometer as finanças da equipe, embora a diretoria atual entenda que Everton 'Cebolinha', aos 24 anos, ainda tem muito para se valorizar.

Quem atuou como intermediário na tratativa foi o advogado e agente Bruno Macedo, o mesmo que veio acompanhar as finais do Campeonato Carioca e que convenceu Jorge Jesus a deixar o Flamengo e voltar ao Benfica.

'Cebolinha' era um dos principais nomes na lista de reforços desejados por Jesus e é o terceiro nome a chegar ao clube encarnado para 2020/21. Na última sexta, chegaram em Lisboa o lateral Gilberto, ex-Fluminense, e o meia-atacante Pedrinho, ex-Corinthians.

Apenas o corintiano estava certo antes de Jesus virar técnico do Benfica, tendo fechado o acordo em março e assinado por cinco anos. Já Gilberto, a exemplo de Everton, constava na lista de reforços que o treinador entregou à diretoria.