<
>

Arsenal fica perto de enfim renovar com Aubameyang com aumento de quase R$ 490 mil por semana

play
Torcedor do Arsenal enlouquece com título da Copa da Inglaterra, assusta senhora e imagem 'viraliza' (0:06)

Durante a vitória de 2 a 1 dos Gunners sobre o Chelsea na decisão da Copa da Inglaterra, essa cena aconteceu - via @arsenal (0:06)

Pierre-Emerick Aubameyang está pronto para dar ao técnico do Arsenal, Mikel Arteta, um grande boost ao assinar novo contrato de 250 mil libras (R$ 1,77 milhão na cotação atual) por semana com o clube até 2023, fontes confirmaram à ESPN.

As conversas progrediram bem nos últimos dias e, mesmo que alguns detalhes ainda precisem de acerto, fontes afirmaram que a confirmação oficial da renovação pode vir já na próxima semana.

A ESPN revelou em 3 de julho que Aubameyang, 31, estava disposto a se comprometer com o Arsenal caso recebesse uma proposta de três anos com 250 mil libras por semana.

Os Gunners aceitaram esses termos com direito a alguns bônus, que serão pagos de acordo com sua performance, incluindo um pagamento adicional caso o Arsenal se classifique para a Champions League ou se Auba vencer a chuteira de ouro da Premier League em qualquer uma das próximas três temporadas.

Aubameyang também foi assegurado de que o clube vai ajudar Arteta na medida do possível durante o mercado de transferências com o iminente acordo com Willian, vindo de graça do Chelsea e visto como uma importante aquisição em questão de experiência e 'pedigree' provado em um elenco predominantemente jovem.

O acordo de Auba representa um aumento significativo no seu atual salário de 180 mil libras (R$ 1,27 milhão) e é um reconhecimento de um recorde memorável em questão de gols marcados, com 70 em 109 aparições desde que chegou a Londres vindo do Borussia Dortmund por 56 milhões de libras (R$ 396 milhões) em janeiro de 2018.

Manter Aubameyang é um passo importante para Arteta, que tenta transformar o Arsenal em um time top 4 da Inglaterra.

A precária posição financeira do clube foi sublinhada nesta semana quando 55 funcionários foram demitidos, além de uma virada brusca na área de recrutamento quando Francis Cagigao (chefe em recrutamento internacional) e Peter Clark (chefe na Grã-Bretanha) foram informados que seus cargos não existiam mais.

Um período de consulta com o staff continua com a maioria dos cortes esperada para as áreas comercial e de hospitalidade, que sofreram muito com a ausência de torcedores durante a pandemia.

Fontes informaram que a economia com esses cortes é drasticamente maior que as 2,5 milhões de libras (17 milhões) reportadas e o orçamento para contratações segue intocado.

O Arsenal segue buscando mais fundos com vários jogadores à venda, incluindo Maitland-Niles, Elneny, Holding e Torreira, alé de Ozil, que tem um ano restante no contrato de 350 mil libras (R$ 2,47 milhões) por semana.