<
>

Flamengo: Domènec Torrent diz o que mais gostou do time de Jesus e exalta tamanho do clube na Europa

play
Domènec Torrent revela o que o amigo Guardiola falou sobre o Flamengo (0:37)

O novo treinador rubro-negro tem o selo de aprovação de Guardiola, um dos maiores técnicos da atualidade: 'Ele me animou a aceitar esse grande desafio' (0:37)

Domènec Torrent foi apresentado pelo Flamengo no começo da tarde desta segunda-feira (3) e revelou uma expectativa dividida com o presidente Rodolfo Landim: que seja um casamento com muitos títulos e que dure mais do que os 18 meses de contrato.

Os pontos que chamaram a atenção foram a exaltação que ele fez do tamanho do Flamengo no mundo do futebol, dizendo que o clube é admirado na Europa e não podia recusar essa oportunidade, além dos elogios ao trabalho de Jorge Jesus, agora no Benfica.

"Vamos colocar o que somos, mas temos que respeitar muito o trabalho que foi feito com os jogadores, é importante mudar pouco a pouco. Não chegar como um elefante entrando num lugar pequeno e estragar tudo, porque o trabalho do Jesus foi fantástico", disse.

"Talvez Jesus deu um passo a mais no futebol brasileiro de jogar mais agressivo, pressionando alto. Foi uma das coisas que gostei nessa equipe, muito compacta e vencedora. Jogou duas finais contra River e Liverpool sempre num nível muito alto".

Domènec, que será chamado de Dome pelo Flamengo, também falou sobre o trabalho de estrangeiros no Brasil. Citou Luiz Felipe Scolari e Vanderlei Luxemburgo como exemplos de brasileiros respeitados. Disse que não há uma competição entre treinadores. Falou também da diferença do jogo dentro do campo, apontando falta de velocidade no Brasil, mas talento e técnica.

"O projeto do Jorge Jesus foi ganhador, isso abre portas. Estamos muito feliz de estar aqui. Todo técnico tem suas ideias, temos que respeitar muito os técnicos brasileiros", disse, tentando minimizar a polêmica.

Domènec terá contato com os jogadores ainda nesta segunda-feira e deve começar a trabalhar na terça (4). Veja, abaixo, os principais trechos da entrevista do catalão. Ao todo, ele concedeu uma entrevista de quase 50 minutos.

Final da Libertadores
Eu assisti e assisti também o jogo contra o Liverpool [pelo Mundial], além de jogos do Brasileirão. Sempre fui interessado em acompanhar os grandes clubes. Foi uma final bonita, vencida nos minutos finais. Neste ano, vi algumas partidas, como contra Fluminense. Mas a final da Libertadores e do Mundial não somente eu, mas muito na Espanha viram.

Filosofia de trabalho
Todos sabem que tenho uma filosofia muito similar ao treinador que estava aqui. Gosto do jogo ofensivo, prefiro ganhar de 4 a 3 do que de 1 a 0. É importante para o Flamengo ganhar, ganhar e ganhar, mas para mim também importante como vamos ganhar, não só ganhar. Na minha cabeça é importante para a torcida ser feliz. Um futebol ofensivo, bonito e ganhador. Essa é minha filosofia, por isso sou técnico. Prezo um trabalho ofensivo, ter a bola e ser protagonista. É o que tem que fazer quando se está num grande clube.

Diferenças com Jesus
Respeito muito Jorge Jesus porque ele ganhou tudo com o Flamengo. Vamos ter nosso próprio estilo. Aos poucos vamos implementar. Temos que respeitar o trabalho dele e dos jogadores. Foi um projeto vencedor. Nosso estilo é muito similar, uma vez que somos ambos ofensivos, mas diferente em algumas coisas no dia a dia. Aqui vamos continuar a ganhar títulos, mas com um estilo próprio.

Contato com Jesus
Não tive contato com ele, mas tive contato com toda a gente do Flamengo. Vi muitos jogos. Tenho muito claro como jogava o time de Jesus e como quero jogar. Podem esperar. O mais difícil no futebol não é ganhar, mas voltar a ganhar. Estamos aqui para fazer do Flamengo vencedor por muitos anos. Vamos fazer um projeto ganhador que dure muito tempo.

play
2:10

Marcos Braz reforça que Flamengo não tem preconceito contra técnico brasileiro e justifica: 'É um direito do clube'

Via YouTube: Fla TV | Vice de futebol do clube participou de entrevista coletiva nesta segunda-feira

Escolha pelo Flamengo
Eu tinha várias ofertas na Europa e na América [nos EUA]. Mas quando pessoas de minha confiança na América do Sul me falaram do possível interesse do Flamengo. Eu disse "para tudo". Quando Flamengo te chama, você não pode dizer não. Eu não sei se o Brasil sabe o respeito que o Flamengo tem fora da América. É muito respeitado na Europa. Quando se fala na Espanha de clubes brasileiros o primeiro que se tem à cabeça é o Flamengo. Então quando me falaram do Flamengo eu disse "é o Flamengo. Se a coisa for adiante teremos um bom processo com o Flamengo, é minha primeira opção 100%". É uma das equipes do mundo que não se podem comparar. Foi fácil para mim quando me falaram sobre o interesse. Era minha primeiro opção poder trabalhar aqui.

Maratona de jogos
Somos capaz de lidar 100% com isso. Quando fui trabalhar no Barcelona, no Bayern de Munique e no Manchester City, foi o mesmo. A cada semana jogamos três jogos. É o mesmo que vai acontecer com o Flamengo. Estou acostumado. O mais importante são as primeiras semanas para que minha comissão avalie os jogadores. Não é problema. Nos últimos dez anos da minha vida tem sido assim. Dois ou três jogos por semana. Não vim aqui de férias. Eu gostaria de trabalhar no Brasil e vou trabalhar muito duro.

play
0:25

Marcos Braz diz que não houve negociação de jogador em viagem do Flamengo à Europa, mas admite possível transferência

Via YouTube: Fla TV | 'Tinha uma possibilidade de um jogador nosso ir para Portugal', disse o dirigente

Estilo de jogo
Nós precisamos de tempo, cada treinador precisa de tempo. Para mim estilo não é formação no campo, 4-4-2, 4-3-3... Estilo é se quer jogar com a bola, se é ofensivo, se é ganhador no campo. Creio que seja impossível estar no Flamengo e não ser ganhador, porque isso está na alma. Vamos colocar o que somos, mas temos que respeitar muito o trabalho que foi feito com os jogadores, é importante mudar pouco a pouco. Não chegar como um elefante entrando num lugar pequeno e estragar tudo, porque o trabalho do Jesus foi fantástico. Temos que aproveitar esse trabalho e melhorar um pouco com nossas próprias ideias, por isso estamos aqui. Se formos capazes de aproveitar o bom trabalho de Jesus e o bom trabalho nosso vamos fazer o melhor Flamengo

Ligação com a Europa
Flamengo pode usar meus conhecimentos no futebol europeu. Posso ajudar o clube, e o conhecimento que eu minha equipe temos do futebol europeu não só do City e dos jogadores alemães [podem ajudar também]. Muitos jogadores me ligaram interessados em saber o que eu fazia e interessados em defender um grande clube. Podemos aportar aqui o conhecimento que temos do futebol europeu.

Técnicos estrangeiros x brasileiros
Sei que não é fácil para outras pessoas entenderem quando técnicos estrangeiros trabalham em outro país. Eu respeito muito os técnicos brasileiros, há grandes nome aqui. Acredito que o técnico europeu pode acrescentar coisas diferentes, viemos para somar ao grande clube que é o Flamengo. Creio que o treinador brasileiro é muito respeitado fora daqui, me lembro do Felipão, do Luxemburgo no Real Madrid, que fizeram grandes trabalhos. Não é uma questão sobre técnico estrangeiro ou brasileiro, todo técnico tem suas próprias ideias. Na Europa se joga mais rápido que aqui. Acredito que o brasileiro é muito respeitado em todo mundo. O projeto do Jorge Jesus foi ganhador, isso abre portas. Estamos muito feliz de estar aqui.

Projeto
Só é possível continuar em grande clube como o Flamengo se vencer. E a minha questão é vencer, mas como vamos vencer. Gostaria de ficar muitos anos no Rio. Isso vai significar que ganhamos, que o projeto deu certo, e que os dirigentes estão contentes e os torcedores também. Não vim aqui para ficar um ano e marchar. Quando estou feliz, quero ficar dois, três, quatro, cinco anos.

Futebol na Europa x Brasil
Na Europa se joga mais rápido e o Brasil é mais técnico. Creio que melhorou muito a qualidade dos campos e isso faz diferença no jogo. Mas a grande diferença é a velocidade, a rapidez do jogo na Europa. Vimos muitos brasileiros fazerem sucesso na Europa. O jogador brasileiro pode jogar de qualquer forma porque o mais importante é a qualidade.

Cobrança por títulos
Experiência é muito importante. Quando chegamos ao Bayern, tínhamos um clube que tinha ganhado tudo. Os jogadores top, inteligentes e sem problema para uma mudança de estilo. Eles querem ganhar, querem continuar ganhando. Temos experiência de como lidar com isso.

Maior desafio da carreira?
Normalmente é assim no mundo tudo. Quando você ganha, você tem razão. Quando não ganha… Estou acostumado. Foi assim em todos os clubes que trabalhei. Sabemos como funciona no mundo do futebol. Quando não ganha, todos têm dúvidas.

play
1:49

Torrent diz que técnicos brasileiros são respeitados no mundo todo e cita Felipão e Luxemburgo: 'Todos têm as suas ideias'

O novo comandante do clube carioca respondeu sobre a polêmica de treinadores brasileiros x treinadores estrangeiros

Legado de Jesus
Ultimamente tem jogado no 4-4-2 com jogadores muito importantes no ataque. Bruno Henrique, Gabigol, Ribeiro, Arrascaeta... Dois meias de muita qualidade, todos têm. Me chamou muita atenção que Jesus, quando perdia a bola, tentava recuperar rápido. Isso é muito importante para nós, porque queremos ser agressivos quando sem a bola. Não gosto de jogar sem a bola. Talvez Jesus deu um passo a mais no futebol brasileiro de jogar mais agressivo, pressionando alto. Foi uma das coisas que gostei nessa equipe, muito compacta e vencedora. Jogou duas finais contra River e Liverpool sempre num nível muito alto.