<
>

Flamengo: membro do estafe de Jesus diz que técnico 'já tem falado em tom de despedida', informa Nicola

Uma pessoa do estafe de Jorge Jesus no Flamengo disse que o treinador não só está disposto a aceitar a proposta do Benfica como revelou que o português já adotou um tom de despedida no clube rubro-negro.

“Jorge Jesus já tem falado em tom de despedida”, disse o parceiro do comandante, em condição de anonimato, ao jornalista da ESPN Brasil Jorge Nicola, que publicou a informação em seu blog no portal Yahoo!.

O Benfica acena com uma proposta de 6 milhões de euros (R$ 36,2 milhões na cotação atual), livres de impostos, por temporada. Era exatamente o que Jesus sonhava em obter ao renovar com o Flamengo.

Mas diante do impacto nas receitas causado pela pandemia do novo coronavírus, o presidente do clube, Rodolfo Landim, acertou o acordo de renovação por 4 milhões de euros (R$ 24,2 milhões) por ano.

O contrato de Jesus com o Flamengo era até 30 de junho e, sem outras ofertas na época, ele aceitou as cifras rubro-negras, mas exigiu uma multa rescisória relativamente baixa, de 1 milhão de euros (R$ 6 milhões), segundo informa Nicola. E o presidente do Benfica, Luis Filipe Vieira, já se comprometeu a pagá-la para contratar o treinador tão logo o Campeonato Carioca termine.

Como perdeu a Taça Rio para o Fluminense, o Flamengo tem mais dois jogos para fazer no estadual. Ambos contra o rival tricolor. O primeiro neste domingo (12) e o seguinte na quarta que vem, 15 de julho.

Além do salário bem mais alto, o Benfica ainda sugeriu um contrato de cinco temporadas. Pesa a favor do convite português a possibilidade de ficar mais perto dos familiares e amigos.

Um dos filhos pediu para Jorge Jesus voltar para Lisboa, segundo Nicola.

A pessoa próxima ao treinador diz que o grande problema seria o impacto causado pelo rompimento de um contrato que acaba de ser assinado. Mas isso deixou de ser uma preocupação para Jesus depois que ele soube que Marco Silva, seu compatriota, teria sido sondado pela diretoria do Flamengo.

Vice-presidente de futebol rubro-negro, Marcos Braz foi procurado, mas não quis falar sobre o assunto com o jornalista.