<
>

Juninho Pernambucano critica opção de Neymar 'só pelo dinheiro' e pede: 'É hora de mostrar gratidão'

play
Neymar dá canetaça em treino do PSG, faz lindo gol e tira sarro nas redes sociais: 'Desculpe, Thilo Kehrer' (0:13)

Via Instagram @neymarjr | Brasileiro segue se preparando para o retorno da Champions League (0:13)

Juninho Pernambucano analisou a situação de Neymar no Paris Saint-Germain e fez críticas ao jogador, em entrevista ao jornal inglês Guardian. O ex-meio-campista e hoje dirigente do Lyon ainda traçou um paralelo entre o atacante e a sociedade brasileira.

“Olhe para o Neymar. Ele se transferiu ao PSG só por causa do dinheiro. O PSG deu tudo a ele, tudo que ele queria, e agora ele quer sair antes do fim de seu contrato. Mas agora é tempo para dar de volta, de mostrar alguma gratidão. É uma troca, você vê. Neymar precisa dar tudo que pode no gramado, mostrar total dedicação, responsabilidade e liderança. O problema é que o establishment no Brasil tem uma cultura de ganância e sempre querer mais dinheiro. Isso é o que somos ensinados e o que aprendemos”, declarou.

play
5:45

10 vezes que Neymar assombrou o mundo com a camisa do Barcelona

O atacante brasileiro, hoje no PSG, teve passagem marcante pelo clube catalão

Ao ser questionado se Neymar era culpado ou a sociedade brasileira, Juninho respondeu: “É simplesmente sobre o que aprendeu”.

“Eu preciso diferenciar entre o Neymar como jogador e o Neymar como pessoa. Como jogador, ele está no top 3 do mundo, no mesmo nível que Cristiano Ronaldo e Leo Messi. Ele é rápido, forte, pode fazer gols e dar assistências como um real número 10. Mas, como pessoa, eu acho que ele é culpado, porque precisa questionar a si mesmo e crescer. No momento, no entanto, ele está fazendo o que a vida o ensinou a fazer.”

Contratado pelo PSG no meio de 2017 na condição de jogador mais caro da história do futebol, Neymar tem vínculo com o clube até o meio de 2022. Um possível retorno ao Barcelona é constantemente especulado, e o jornal catalão Mundo Deportivo, inclusive, publicou em junho que o brasileiro teria demonstrado tal desejo aos colegas na equipe francesa.