<
>

MP 984, direitos de transmissão e até gol contra de Oséas: como foi o encontro de Bolsonaro com dirigentes

Foi marcada por bom humor, simplicidade e curiosidade, por parte de Jair Bolsonaro (sem partido), a visita de dirigentes de oito clubes de futebol - Palmeiras, Santos, Internacional, Ceará, Coritiba, Fortaleza, Athletico-PR e Bahia - ao Palácio do Planalto, nesta terça-feira (30).

A comitiva não se formou ao acaso. Tratam-se das oito agremiações que atualmente estão em litígio com a programadora Turner, que detém os direitos de transmissão das partidas das oito equipes em TV fechada no Brasileiro.

Na visão de pessoas presentes à reunião, agendada por intermédio do ministro das comunicações Fábio Farias (DEM), o presidente é exatamente o que se vê em suas aparições públicas: um homem simples que fala exatamente o que pensa e adora futebol.

Palmeirense declarado, Bolsonaro até mesmo relembrou no encontro, com bom humor, o gol contra que o atacante Oséas fez a favor do Corinthians, em 1998, quando jogava pelo Palmeiras.

Além de Farias e Bolsonaro, participaram da reunião o general Augusto Heleno, chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, e alguns assessores.

Um dos intuitos dos dirigentes com a visita foi expressar apoio unânime à MP 984/2020, publicada há 12 dias, que concede aos mandantes das partidas o poder de negociar unilateralmente os direitos de exibição de seus jogos disputados em casa.

A MP foi obtida após lobby de dirigentes do Flamengo junto ao presidente da República.

Bolsonaro e Farias mostraram também interesse em entender um pouco melhor como funciona a questão dos direitos de transmissão e quiseram mais informações sobre a Turner e seus canais.

Os clubes levaram ao conhecimento dos políticos a questão com a programadora, que tenta romper o acordo com as agremiações, alegando descumprimento de cláusulas contratuais. E ponderaram, sem economizar nas críticas, que um distrato agora, sem compensação financeira, seria desastroso para seus caixas.

O grupo também conversou sobre temas tratados no Projeto de Lei 3.832, que altera a lei da TV Paga, permitindo que empresas de telecomunicações invistam diretamente em conteúdo brasileiro.

Evidentemente, o assunto retorno dos jogos pós-pandemia apareceu na conversa, e Bolsonaro, mais uma vez, expressou o desejo de que os campeonatos sejam retomados o quanto antes. Mas enfatizou que cabe aos governadores e prefeitos negociar as liberações.

O encontro durou cerca de duas horas, das 11h às 13h, e incluiu também um almoço. Bolsonaro deixou o encontro com camisas oficiais dos clubes - o que indica que, em breve, ele deve aparecer com novos modelos em suas lives semanais e aparições públicas corriqueiras.

Os oito clubes foram representados por Robinson Passos de Castro e Silva (presidente do Ceará), Marcelo Cunha da Paz (presidente do Fortaleza), Eduardo Bastos De Barros e Samir Namur (presidente do Coritiba), Aguinaldo Coelho de Farias (presidente do Conselho Deliberativo Athletico), Maurício Galiotte e André Sica (presidente e advogado do Palmeiras), Guilherme Bellintani (presidente do Bahia), Matheus Del Corso Rodrigues (membro do Comitê de Gestão do Santos) e Marcelo Feijó de Medeiros (presidente do Internacional).