<
>

Cruzeiro: Fábio diz que Mano percebeu 'negócio diferente' e aposta: com ele, time se recuperaria

O dolorido rebaixamento do Cruzeiro não saiu da cabeça do goleiro Fábio, um dos jogadores mais identificados com o clube e querido pelos torcedores. Para ele, a queda para a Série B poderia ser evitada se Mano Menezes tivesse prosseguido no comando do time.

“O maior erro, no meu ponto de vista, foi a saída do Mano. Acho que se o Mano tivesse permanecido, acho que a gente tinha grande chance porque a gente já estava acostumado ao trabalho", disse Fábio, em entrevista ao programa “Os Canalhas”, do Uol.

"Só que algumas situações de bastidores também prejudicaram muito o trabalho do Mano e o Mano, dez anos de futebol, conhece quando o negócio está ficando diferente, e optou por sair. Mas eu tinha muita fé, pelo que ele já conhecia do Cruzeiro, do grupo, pelo que ele já tinha feito nas duas últimas temporadas, com ele a gente tinha grande chance de voltar ao eixo", completou.

Mano Menezes deixou o Cruzeiro em 8 de agosto do ano passado, após o time ser derrotado pelo Internacional no jogo de ida da semifinal da Copa do Brasil. A equipe tinha um triunfo em 18 jogos.

O Cruzeiro ocupava a 18ª posição, na zona de rebaixamento do Brasileiro, com 10 pontos e muitos problemas fora de campo. Jogadores estavam com salários atrasados. E o treinador foi demitido tendo ainda R$ 2 milhões para receber. Depois dele vieram Rogério Ceni, Abel Braga e Adilson Batista. Nenhum conseguiu reverter a situação na tabela.

Durante a última temporada, apareceram muitas denúncias contra a diretoria celeste. Elas se agravaram no início deste ano. Para o goleiro, tudo isso se refletiu em campo.

"Culminou com muitas situações de bastidores que foram diretamente influenciadores do que aconteceu nessa temporada de 2019, essas acusações, várias situações que refletiram diretamente dentro de campo. Esses escândalos, com certeza, foram as coisas que mais pesaram porque os outros adversários souberam usufruir desse momento que a gente carregava de pressão", disse Fábio.