<
>

Argentina 'dá banho' no Brasil em técnicos exportados e concentra a maioria na América do Sul

play
Ex-'La U' conta quando argentino se atrasou a treino de Sampaoli e culpou sequestro por ETs: 'Te roubam a alma e te analisam' (3:12)

Lorenzetti contou história de Guillermo Marino nos tempos de Universidad de Chile: 'A explicação que ele deu é muito boa e é preciso acreditar' (3:12)

Um levantamento do Centro Internacional de Estudos Esportivos apontou que a Argentina é a líder em técnicos em países estrangeiros com 68. A segunda na lista é a Espanha, com 41, sete a mais do que a Sérvia, que completa o pódio.

O Brasil aparece na nona colocação com 16 nomes, distribuídos em Indonésia (4), Arábia Saudita (3), Tailândia (2), Japão (2), Estados Unidos (2), México (1), Nicarágua (1) e Albânia (1).

Em relação à Argentina, a maior parte dos técnicos no estrangeiro estão na América do Sul, com 11 nomes no Chile, sete no Peru, seis no Equador, cinco na Bolívia, cinco na Colômbia e cinco no Paraguai, além de dois no Brasil: Jorge Sampaoli (Atlético-MG) e Eduardo Coudet (Internacional). Os 68 treinadores estão distribuídos em um total de 22 países.

Vale destacar que o país tem três nomes no futebol europeu, sendo eles Hernán Losada (Beerschot, da Bélgica), Diego Simeone (Atlético de Madrid) e Marcelo Bielsa (Leeds United). Outro técnico com mercado no continente é Mauricio Pochettino, que foi demitido do Tottenham em novembro.

O levantamento considera 1,875 clubes de 128 ligas em 91 países.