<
>

Com milhões de Ibrahimovic, Inter de Milão comprou quase 5 titulares e fez base de time campeão da Champions

play
Júlio Cesar conta causos de Balotelli na Internazionale, e elenco do Resenha cai na gargalhada (1:32)

Ex-goleiro do Fla, seleção brasileira e outros foi o convidado do Resenha de Casa especial (1:32)

Zlatan Ibrahimovic deixou a Inter de Milão rumo ao Barcelona em 2009 dizendo que, na Espanha, teria mais chance de conquistar a Champions League. Um ano depois, contudo, era o time italiano que subia no lugar mais alto do pódio, com uma espinha dorsal que havia sido contratada naquela mesma janela, usando quase a totalidade da venda do atacante sueco.

O Barcelona gastou 69,5 milhões de euros para contratar Ibrahimovic. Em sua única temporada na equipe espanhola, marcou 22 gols em 49 partidas, conquistando o Campeonato Espanhol mas parando nas semifinais da Champions League. O adversário: a Inter de Milão.

Dirigido por José Mourinho, o time italiano contratou cinco jogadores naquela janela de transferências que viraram titulares da equipe: Lúcio, Thiago Motta, Sneijder, Eto’o e Diego Milito. Juntos, o quinteto custou 77 milhões de euros. Se tirarmos Lúcio, o mais barato da lista (7 milhões de euros), teríamos o mesmo valor arrecadado na venda de Ibrahimovic.

Lúcio, que chegava do Bayern de Munique, foi fundamental ao lado do argentino Samuel na defesa bem montada por Mourinho. A sua frente, Thiago Motta também tinha seu papel importante, protegendo a defesa ao lado do também argentino Cambiasso. Suspenso, o brasileiro naturalizado italiano acabou não jogando a final da Champions entretanto.

O trio decisivo, contudo, era Sneijder, Eto’o e Milito. Sneijder custou 15 milhões de euros vindo do Real Madrid, Eto’o foi comprado por 20 milhões de euros do Barcelona e Milito, autor dos dois gols da final diante do Bayern, custou 25 milhões de euros vindo do Genoa.

Juntos, fizeram 54 gols na temporada que fez história para a Inter de Milão, já que o time conquistou também Copa da Itália e Campeonato Italiano. Bom negócio não?