<
>

Flamengo tem sede pichada com protesto contra Landim e Bap

A sede do Flamengo na Gávea foi pichada durante a madrugada desta quinta-feira (21) com frases de protesto contra o presidente, Rodolfo Landim, e Luiz Eduardo Baptista, o Bap, vice-presidente de relações externas do clube. Ambos favoráveis à retomada dos jogos de futebol no Brasil.

Frases como “Landim e Bap facistas” e “Somos democracia” foram pichadas nos muros. Também havia manifestações como “Fora Bozo”, direcionadas ao presidente da República.

Na última terça-feira (19), Landim viajou a Brasília para se encontrar com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para tratar da retomada do futebol no país. Foi acompanhado de Aleksander Silvino dos Santos, diretor de relações institucionais do clube, do chefe do departamento médico rubor-negro, Márcio Tannure, e do presidente do Vasco, Alexandre Campello.

De acordo com o noticiário do dia, uma das ideias de Landim para retomar as atividades em segurança seria usar o estádio Mané Garrincha, além de realizar os jogos restantes do Campeonato Carioca no Distrito Federal. Outros clubes do Rio não se mostrarem favoráveis.

Em outros estados, as competições prosseguem sem data para retomar. Por exemplo, em São Paulo, a Federação Paulista (FPF) já avisou aos clubes de todas as divisões que só tratarpa da retomama dos campeonatos com aval das autoridades sanitárias.

O cenário no país é crítico, segundo os números oficiais divulgados, com a rede hospitalar das grandes cidades atendendo um alto número de pacientes e hospitais públicos com falta de material básico, como máscaras e luvas.

Segundo o Ministério da Saúde, são 287.931 casos de COVID-19 no Brasil, com 18.478 mortes oficialmente registradas. A concentração maior é na região sudeste. Só a cidade de São Paulo teve 2.856 mortes, enquanto o Rio de Janeiro registrou 2.249.

Todos os números atualizados até à noite de quarta-feira.

Há duas correntes de pensamento no país em relação ao novo coronavírus. A maioria dos governadores estaduais defende a ampliação da quarentena para o achatamento da curva de contaminados e mortos, liberando apenas os serviços considerados essenciais.

Já o presidente da República é favorável à retomada das atividades sob a justificativa de que tenta evitar um colapso financeiro. O cenário em Brasília não é tão alarmante como em outras cidades brasileiras. São 4.898 casos e 68 mortes.

Entre os governadores favoráveis à quarentena está Wilson Witzel (PSC), do Rio de Janeiro. A decisão foi acompanhada pelo prefeito da Cidade Maravilhosa, Marcelo Crivella (Republicanos). Ele até autorizou ao Flamengo iniciar o trabalho com o fisioterapeuta. Treinos não.

Ainda assim, o clube rubro-negro mandou a campo os jogadores na última quarta-feira (20) no Ninho do Urubu. Na última segunda, dois atletas testaram positivo para COVID-19.

A atitude do Flamengo repercutiu mal mundialmente e fez seus dirigentes serem criticados, por exemplo, por Carlos Augusto Montenegro, do Botafogo.

“O Flamengo já enterrou um massagista, tem jogadores e profissionais contaminados. […] Não sei bem o que quer o Flamengo. Será que o Campeonato Carioca será contra Gama, Brasiliense? Ou jogará somente com o Vasco ou se querem jogar sozinho. Será que estão pensando em Libertadores com países com problemas sérios? O Flamengo pode treinar onde quiser. Sair do Ninho e ir para Brasília. Tomara que não tenham de treinar no cemitério São João Batista, Caju ou Jardim da Saudade”, disse Montenegro em entrevista ao programa “Jogo Aberto”, da Band.