<
>

Corinthians já tem acerto verbal com Jô: 'Se liberar, vem agora; se não, no fim do ano'

play
Giovanni explica como Tite usou Jorge Henrique de 'antídoto' para Hazard e diz que atacante 'mudou o futebol' (1:19)

Treinador tirou Douglas, titular na semifinal, para colocar o ponta na decisão (1:19)

O Corinthians apenas aguarda a rescisão com o Nagoya Grampus, do Japão, para anunciar o retorno de Jô. A informação é de Jorge Nicola, comentarista dos canais ESPN, em seu blog no “Yahoo”.

A confiança do clube alvinegro é grande na contratação e a única dúvida é se o atacante se apresentará ainda em 2020 ou só ao final da temporada.

“Se o Jô conseguir se liberar, vem agora. Se não, vem no fim do ano”, disse um dos homens fortes do departamento de futebol do Corinthians.

O contrato de Jô no Japão se encerra no final de 2020 e, até lá, a não ser que Jô consiga antecipar a rescisão, as partes não devem admitir oficialmente qualquer acordo.

O Nagoya Grampus gostaria de receber um ressarcimento do Corinthians pela rescisão antecipada. Andrés Sanchez, presidente alvinegro, contudo, rechaça a possibilidade.

Os empresários Kia Joorabchian e Giuliano Bertolucci, que representam o atacante, tentam convencer o Nagoya Grampus que a rescisão antecipada seria positiva em razão da economia salarial.

O centroavante é o jogador mais bem pago do elenco da equipe japonesa e fatura US$ 3,2 milhões (R$ 18,7 milhões) por temporada. Apesar disso, ele está fora dos planos do técnico italiano Massimo Ficcadenti.

play
1:19

Giovanni explica como Tite usou Jorge Henrique de 'antídoto' para Hazard e diz que atacante 'mudou o futebol'

Treinador tirou Douglas, titular na semifinal, para colocar o ponta na decisão

Para o Corinthians, a chegada antecipada de Jô seria boa por dois motivos: o esportivo, já que na avaliação interna ele é melhor opção do que Boselli e Vágner Love, e político, afinal, haverá eleição para presidente no fim do ano.