<
>

Van Basten e sua obra de arte: artilheiro conta como marcou, há 32 anos, um dos gols mais bonitos da história

Marco van Basten está na lista dos maiores atacantes da história do futebol mundial. Com uma qualidade técnica impressionante e uma facilidade enorme de fazer gols, ele se eternizou com as camisas de Ajax, Milan e Holanda, em uma carreira que poderia ter sido ainda mais impactante se não fossem as sérias lesões que levaram a uma aposentadoria precoce.

Um dos momentos mais inesquecíveis da trajetória de Van Basten aconteceu na Eurocopa de 1988, especialmente na final contra a União Soviética. A Holanda, comandada pelo lendário Rinus Michels, já vencia por 1 a 0, gol de Ruud Gullit, quando, aos 9min do segundo tempo, veio a magia.

Quem conta o lance imortal, desenhado em um 25 de junho, há exatos 32 anos, é o próprio Van Basten:

"Foi no segundo tempo e eu estava um pouco cansado. A bola veio de Arnold Muhren e eu estava pensando: 'OK, eu posso dominar e fazer alguma coisa com todos esses defensores ou eu posso fazer da maneira mais fácil, arriscar e chutar."
"Você sabe, você precisa de muita sorte em um chute como esse. Tudo ocorreu bem. É uma daquelas coisas que às vezes acontece. Você tenta fazê-lo, mas precisa de muita sorte e, naquele momento, eu tive a sorte de fazer tudo na hora certa."
"Eu posso falar muita coisa, mas foi apenas uma sensação fantástica. Tenho que estar feliz e agradecido por ter vivido este um momento para mim e para a Holanda. Foi o momento em que pudemos dizer: 'Está 2 a 0, podemos vencer este jogo'."
"Sobre a empolgação com o gol, eu realmente não entendia nada e não entendia o que eu tinha feito. Você também pode ver isso na minha reação. Estou perguntando: 'O que está acontecendo?'."

*Depoimento de Van Basten dado ao site da Uefa, em 2016.