<
>

Kalil resume 'conversa muito dura' para contratar Ronaldinho Gaúcho: 'Lá não é Flamengo, é Atlético-MG'

Ronaldinho Gaúcho teve seus últimos momentos de brilho no futebol com a camisa do Atlético-MG. Até a passagem coroada com o título da Copa Libertadores, em 2013, o craque teve superar muita desconfiança, em um cenário em que era “esmagado pela imprensa”.

A definição é de Alexandre Kalil, ex-presidente alvinegro e hoje prefeito de Belo Horizonte. Ele relembrou como foi a contratação de Ronaldinho, que saia de forma conturbada do Flamengo.

“Foi uma conversa muito dura, muito dura. Posso resumir em uma frase. Vou te levar para o Atlético-MG, você vai acabar com a minha vida, mas eu acabo com a sua também. Lá não é o Flamengo, é o Atlético-MG. Você só vai ter uma chance”, relembrou, à “TV Globo”.

Depois da conversa e a contratação, Kalil também relembrou que Ronaldinho queimou a “única chance”. Chegou atrasado a um treino, junto com Jô, e seria dispensado.

“Chamei o Jô, falei com ele. ‘Se você foi levado, pode se arrumar e ir treinar, o Ronaldo deixa que eu falo com ele. O Ronaldo pode arrumar a mala embora. Falei que só ia ter uma chance”, relembrou Kalil, que foi demovido, contudo, da punição severa.

Os jogadores do elenco atleticano entraram em defesa de Ronaldinho. Ele pediu desculpas, segundo lembraram Kalil e o zagueiro Leonardo Silva, o que ambos definiram como um momento de virada para o astro em Belo Horizonte.

Atualmente, Ronaldinho está preso no Paraguai, junto com o irmão Assis, acusado de falsidade ideológica na obtenção de passaporte e documentos falsificados no país.