<
>

Landim: 'Jesus é Messi dos técnicos e fez pedida muito além da capacidade do Flamengo pagar'

Jorge Jesus é o "Messi dos técnicos", mas sua pedida salarial para renovar contrato está "muito além da capacidade do Flamengo pagar".

Essas são declarações do presidente da equipe rubro-negra, Rodolfo Landim, em entrevista à FOX Sports.

O técnico português pediu 7 milhões de euros (R$ 39,5 milhões) por temporada para renovar seu vínculo com a equipe da Gávea - o mesmo se encerra em 20 de junho.

Landim afirmou que o luso vale "todo o dinheiro do mundo", mas confirmou que o clube carioca está tentando baixar esse valor, já que não tem como atender à requisição.

"Eu não questino nunca, jamais questionarei, a pedida (salarial) de uma pessoa, seja jogador, técnico ou profissional de comissão técnica. Principalmente alguém da qualidade do Jorge Jesus. Quem sou eu para dizer a ele se o contrato dele vale ou não vale um certo valor?", argumentou.

"Eu considero o Jesus um dos maiores técnicos do mundo, e, consequentemente, acho que ele vale muito dinheiro, sim. O problema é saber se o Flamengo tem condições de poder pagar o que ele quer receber. E ele entendeu que, para ele ficar no Flamengo, terá que se adaptar à capacidade de pegamento do Flamengo. Mas dizer se ele vale o não vale, eu acho que ele vale todo o dinheiro do mundo!", acrescentou.

"Infelizmente, o Flamengo não tem (esse dinheiro) para pagá-lo. Mas, para mim, ele é quase um Messi entre os treinadores de futebol do mundo. Quanto vale o Messi? O Messi, segundo eu vi, ganha 55 milhões de euros líquidos por ano, o que dá, com os altos custos sociais da Espanha, muito mais do que isso. O Flamengo gostaria de ter o Messi? Adoraria, mas não tem condições", prosseguiu.

"O Jesus é um dos melhores técnicos do mundo. Como tal, tem o direito de pedir o quanto ele quiser. Mas o Flamengo acredita que vai chegar a um denominador comum", complementou.

Landim ainda disse que não quer "esconder" que o pedido de Jesus está fora dos "limites" do Fla, mas ressaltou que tem total confiança em chegar a um "denominador comum".

"É óbvio que, se a gente está discutindo (para chegar a um acordo salarial), é porque a pedida (de Jesus) foi muito além da capacidade do Flamengo. Não vou esconder isso, mas ele sabe disso. Tenho a expectativa alta de que vamos chegar a um valor, e eu não estaria falando isso aqui se não tivesse. Podem acreditar em mim", assegurou.

"Nós já iniciamos conversas com ele e com o empresário dele, as conversas estão muito bem encaminhadas. A gente tem contrato até final de maio, início de junho, e temos certeza que vamos chegar a um denominador comum com ele. Ele está querendo seguir no Flamengo, e nós queremos seguir com ele. O que falta é acertar os últimos detalhes, e tenho certeza que isso vai acabar acontecendo", finalizou.