<
>

Coronavírus acaba com plano de empresário de tentar vender são-paulino Igor Gomes

play
Antes de Bauza, São Paulo quase fechou com Bielsa: 'O contrato estava bem evoluído', diz gerente (2:05)

Alexandre Pássaro revelou que o clube ficou muito perto de ter 'El Loco' como treinador em 2016 (2:05)

O empresário Wágner Ribeiro, um dos mais influentes da história do futebol brasileiro, está em casa e parou toda a atividade professional. “O que estou fazendo como empresário? Nada”, disse.

Ribeiro tinha boas perspectivas de negócios para o final da temporada europeia. Um deles: levar o meia atacante Igor Gomes, do São Paulo, para um clube de centros grandes como Itália, Espanha ou Inglaterra.

“Ia para a Europa. Nem fui. Ainda está cedo”, falou para a ESPN. A crise mundial gerada pela pandemia de coronavirus paralisou o futebol e as negociações que estavam começando a andar na Europa.

A indefinição sobre quanto tempo países como Itália, Espanha, Inglaterra e mesmo Brasil ficarão sem futebol trouxe um mar de incertezas. Ribeiro lembra que esta situação “afeta tudo” porque “os clubes pararam de faturar e as depesas continuaram”.

Ele prevê a possibilidade dos clubes de grandes centros partirem para uma política de redução de salários dos jogadores.

“Na Itália, com certeza”, crava o empresário. O futebol espanhol é quem interessa a Ribeiro e o jogador Neymar, do PSG, que está no Brasil e queria mudra de clube na janela de transferência do meio do ano. O clube francês não gostou da decisão do atacante de retornar ao Brasil durante a “quarentena” do futebol francês.

Quanto ao futebol brasileiro, Wágner Ribeiro vê um futuro mais incerto. “Aqui não sei o que vai acontecer. O governo disse que vai ajudar todos. Mas não acho que seja uma boa saída. Tem outras coisas mais importantes do que o futebol. E os jogadores são bem remunerados”.