<
>

Técnico do PSG fala de decisão polêmica sobre Neymar e se surpreende com festa: 'Não estamos felizes'

play
Neymar critica decisão do PSG em poupá-lo, e BB Debate analisa declaração do brasileiro (3:02)

'Entendo o medo do clube, mas não pode ser assim', afirmou o brasileiro (3:02)

A festa de aniversário que reuniu jogadores do PSG após a derrota para o Borussia Dortmund na Champions League e as declarações de Neymar ainda repercutem na França. Neste sábado, o técnico da equipe, Thomas Tuchel, falou sobre os temas e mostrou incômodo com o primeiro.

Na última sexta-feira, vazaram imagens de diversos atletas do PSG celebrando em festa conjunta de Cavani, Di María e Mauro Icardi. Os jogadores estavam visivelmente empolgados, o que incomodou.

“Fiquei realmente surpreso com este vídeo . Realmente. Nós conversamos sobre isso internamente. E (a conversa) tem que permanecer interna”, disse, complementando em seguida: “Você pode ter certeza de que não estamos felizes com esta imagem da festa. Fiquei muito surpreso. Mas conversamos com a equipe, e ela (conversa) permanece interna”.

Já em relação a Neymar, que deixou clara a insatisfação por ter sido preservado dos jogos que antecederam a partida de ida da Champions, Tuchel sustentou a decisão tomada por ele e sua equipe.

“Não há nada para explicar. Como eu sempre disse, foi uma discussão entre os médicos e eu, o treinador. E então tomamos uma decisão. É assim que é”, minimizou.

“Mas imagine se ele tivesse permissão para jogar, que a lesão piorasse e que ele ficasse fora por três meses? Seria a mesma pergunta para questionar se não cometemos um erro novamente. Você pode acreditar em mim, de verdade: pensamos para tomar essa decisão. Eu gostaria que Ney jogasse todos os jogos. Gostaria de jogar sem ele? Não, não mesmo. Mas essa foi a decisão.”

Até a partida de volta contra o Dortmund, em Paris, apenas em 11 de março, porém, Neymar não deve mais ser preservado. Segundo Tuchel, é hora de o brasileiro “recuperar confiança, ritmo e suas habilidades”. Na França, o PSG precisará reverter a vantagem de 2 a 1 dos alemães na Champions.